Bolsonaro pisca para o centrão tentando evitar aumento do auxílio emergencial

Estremecido com Rodrigo Maia (DEM-RJ), Jair Bolsonaro colocou as mangas de fora para evitar que auxílio emergencial de R$ 600 permaneça com esse valor. Maia caminha no sentido contrário, afirmando que suas redes são favoráveis a manutenção dos R$ 600

Jair Bolsonaro
Jair Bolsonaro (Foto: REUTERS/Ueslei Marcelino)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Jair Bolsonaro quer forçar o Congresso a reduzir o valor do auxílio emergencial para R$ 300 e enfrenta a resistência do presidente da Câmara. Em entrevista, Maia disse que 82% das suas redes sociais são favoráveis à manutenção dos R$ 600, afirmação que teve o apoio de deputados da base aliada.

A reportagem do jornal Folha de S. Paulo destaca que “para evitar que o valor seja alterado pelo Poder Legislativo, o Palácio do Planalto realizará monitoramento nas redes sociais de parlamentares governistas, em especial os do centrão, para identificar aqueles que defendem um valor maior que R$ 300.​”

A matéria ainda acrescenta que “a ideia é que, a partir do mapeamento, os líderes do governo procurem pessoalmente os deputados indecisos para reafirmar a necessidade de manter o valor de R$ 300. O presidente quer, assim, evitar que se repita o cenário da primeira votação do benefício social.”

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email