Bolsonaro banaliza mortes por Covid-19: “é o destino de todo mundo”

Questionado sobre uma palavra aos “enlutados” por mortes durante a pandemia, em frente ao Palácio da Alvorada, Jair Bolsonaro respondeu: “Eu lamento todos os mortos, mas é o destino de todo mundo”. O Brasil registrou mais 1.262 mortes nas últimas 24 horas

Jair Bolsonaro e covas para mortos por coronavírus
Jair Bolsonaro e covas para mortos por coronavírus (Foto: Agência Brasil | Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - No dia em que o Brasil registrou um novo recorde desde o início da pandemia do coronavírus - mais 1.262 mortes em 24 horas -, Jair Bolsonaro tratou com desprezo vítimas e familiares de pessoas que morreram em decorrência de Covid-19.

Solicitado por uma apoiadora a dar uma palavra de consolo aos “enlutados” por mortes durante a pandemia, em frente ao Palácio da Alvorada, Bolsonaro respondeu: “Eu lamento todos os mortos, mas é o destino de todo mundo”. 

Antes, após um pedido para "uma palavra de conforto nessa hora", Bolsonaro havia dito: "Pode ter fé e acreditar que a gente vai mudar o Brasil".

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email