Câmara chama Figueiredo para falar sobre Brics, Oriente Médio e MST

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados vai realizar audiência pública na quarta-feira (19) com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado para discutir temas como a criação do banco de desenvolvimento dos Brics e as declarações da presidente Dilma Rousseff sugerindo o diálogo como alternativa para conter o avanço do terrorismo islâmico no Oriente Médio

A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados vai realizar audiência pública na quarta-feira (19) com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado para discutir temas como a criação do banco de desenvolvimento dos Brics e as declarações da presidente Dilma Rousseff sugerindo o diálogo como alternativa para conter o avanço do terrorismo islâmico no Oriente Médio
A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional da Câmara dos Deputados vai realizar audiência pública na quarta-feira (19) com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado para discutir temas como a criação do banco de desenvolvimento dos Brics e as declarações da presidente Dilma Rousseff sugerindo o diálogo como alternativa para conter o avanço do terrorismo islâmico no Oriente Médio (Foto: Leonardo Araújo)

Câmara Notícias - A Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional vai realizar audiência pública na quarta-feira (19) com o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado. A intenção é discutir temas como a criação do banco de desenvolvimento dos Brics e as declarações da presidente Dilma Rousseff sugerindo o diálogo como alternativa para conter o avanço do terrorismo islâmico no Oriente Médio.

A vinda de Machado atende a requerimentos dos deputados Alexandre Leite (DEM-SP), Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Eduardo Barbosa (PSDB-MG). Os partidos fecharam um acordo para evitar a convocação do ministro.

A respeito do banco dos Brics, Eduardo Barbosa explicou que, “embora seja consensual a necessidade de uma reforma dos mecanismos do sistema financeiro internacional, é fundamental entendermos como países com economias e sistemas políticos tão diversos alinharão interesses no âmbito deste banco”. Os Brics são formados por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.

Em reunião da Cúpula dos Brics, realizada em Fortaleza no dia 15 de julho deste ano, o principal divisor de opinião entre os líderes de Estado foi a assinatura de um acordo sobre um Novo Banco de Desenvolvimento (NDB) – que deve contar com um aporte de 50 bilhões de dólares - e um tratado para estabelecer um Arranjo Contingente de Reserva (ACR) – cujo compromisso inicial de recursos monta a 100 bilhões de dólares.

Estados islâmicos
A comissão ainda pretende abordar a declaração da presidente Dilma Rousseff sobre a abertura de negociações políticas com o Estado Islâmico. Em reunião dos chefes de Estado da Organização das Nações Unidas (ONU), realizada em setembro deste ano, a presidente Dilma disse que lamentava o bombardeio dos Estados Unidos contra terroristas na Síria e reafirmou seu posicionamento ao condenar o “uso da força” como forma de resolver conflitos mundiais.

Também será debatido o acordo firmado entre o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e o governo venezuelano para treinamento de seus integrantes.

A reunião será realizada a partir das 9h30, no plenário 3.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247