Centro de Convenções encarece Festiarte

Governo vai gastar R$ 156,2 mil alm do previsto para realizar os cinco principais shows do 1 Festival de Artes de Braslia no novo lugar; pblico ganhar 1,5 mil assentos a mais

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Natalia Emerich _ Brasília 247 – Para mudar os principais shows do 1º Festival de Artes de Brasília (Festiarte) do Teatro Nacional para o Centro de Convenções o governo do Distrito Federal vai desembolsar mais R$ 156, 2 mil, além dos R$ 2,5 milhões previstos para realizar o evento. Com a troca, será ampliada a capacidade de público, o que deve causar menos transtornos para conseguir um ingresso. Nesta terça-feira (10), Gilberto Gil sobe ao palco para a primeira apresentação no novo endereço do festival.

A destinação para o recurso extra, e de última hora, foi fechada nesta segunda-feira (9), na Secretaria de Cultura. A verba vai custear equipamentos de sonorizações de grande porte; contratação de equipe de Recursos Humanos – quatro porteiros, 18 seguranças, quatro brigadistas, 10 profissionais de limpeza, mobiliário e finalização –; 10 geradores; um pórtico de entrada – estrutura metálica para pendurar banners; 60 diárias para profissionais e técnicos; dois mestres de cerimônia; um assistente de produção.

Os itens citados são referentes aos cinco principais shows do festival, estrelados pelos cantores Gilberto Gil (10), Milton Nascimento (19), Vanessa da Mata (27 e 28 – em Taguatinga) e Ney Matogrosso (3/2). “O Centro de Convenções não tem a infraestrutura necessária para as apresentações, temos que trazer tudo”, explica coordenadora do festival, Fátima de Deus.

O valor do aluguel do Centro de Convenções, de R$ 7 mil a diária, não está incluso no pacote. O espaço foi cedido para a realização das apresentações de grande porte.

A decisão de mudar o endereço dos grandes shows foi tomada depois do transtorno causado durante a entrega de ingressos no Teatro Nacional, na tarde de quarta-feira (4), para a apresentação do sambista Paulinho da Viola. Algumas pessoas ficaram na fila por mais de duas horas e saíram de mãos abanando. Em menos de 20 minutos os bilhetes foram esgotados.

Para evitar mais conflitos a capacidade de público vai duplicar de 1,5 mil para 3 mil. Mas o número de ingressos a serem distribuídos é de 2,5 mil, pois 250 são destinados a servidores da Secretaria de Cultura e outros 250 a servidores da Secretaria de Educação. “Queremos atender melhor a demanda dos brasilienses”, observa Fátima.

Segundo a coordenadora do festival, o tumulto da semana passada tomou proporções desnecessárias. “A grande coisa não foi a bagunça no saguão do Teatro Nacional, mas o grande show apresentado lá dentro”, enfatiza. “O problema é que infelizmente em eventos o que pega são os detalhes, por isso temos que nos precaver e trabalhar da melhor forma.”

Apesar de os shows terem mudado de endereço, os ingressos serão distribuídos gratuitamente, a partir das 14h, na bilheteria do Teatro Nacional, no dia de cada apresentação. Cada pessoa pode retirar um par de ingressos.

Planos

A primeira edição do Festival de Artes de Brasília ocorre até 12 de fevereiro, mas a coordenadora já planeja as ampliações para 2013. “Somos capazes de trazer o mundo para a capital do País e temos público para isso, basta termos oportunidade e estrutura adequadas”, idealiza Fátima.

De acordo com a coordenadora do festival, os grandes shows vão ser em ginásios espalhados pelo DF. O objetivo é promover a descentralização da cultura e levar grandes nomes a várias regiões administrativas. A ideia é boa, mas custa caro. A falta de acústica dos ginásios exige a instalação de sonorização de grande porte – estrutura semelhante à construída no Réveillon.

Apesar das dificuldades Fátima está otimista e diz que grandes empresas estão interessadas em fazer parceria e patrocinar o festival nas próximas edições.

Veja a programação completa aqui.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email