Comissão do Senado aprova diligência para verificar cela de Lula

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou nesta quarta-feira 11 a realização de diligência à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para verificar as condições de prisão do ex-presidente Lula; o requerimento aprovado foi da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM); a previsão é de que a comitiva vá a Curitiba já na próxima semana

A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou nesta quarta-feira 11 a realização de diligência à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para verificar as condições de prisão do ex-presidente Lula; o requerimento aprovado foi da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM); a previsão é de que a comitiva vá a Curitiba já na próxima semana
A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou nesta quarta-feira 11 a realização de diligência à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para verificar as condições de prisão do ex-presidente Lula; o requerimento aprovado foi da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM); a previsão é de que a comitiva vá a Curitiba já na próxima semana (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Senado - A Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) aprovou nesta quarta-feira (11) a realização de diligência à Superintendência da Polícia Federal em Curitiba para verificar as condições de prisão do ex-presidente Lula. O requerimento aprovado foi da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM). A previsão é de que a comitiva vá a Curitiba já na próxima semana.

Vanessa explicou que, na terça-feira, a Justiça negou o pedido de visita ao ex-presidente Lula feito por nove governadores, três senadores (Gleisi Hoffmann, Lindbergh Farias e Roberto Requião), alguns deputados e dirigentes partidários. O ex-presidente estaria autorizado a receber apenas a família e os advogados.

— A Lei de Execução Penal é claríssima. Ela fala que que visitas são permitidas a parentes, companheira, esposa e amigos. Então não há base legal [para a proibição]. Esse fato ocorrido é muito grave para qualquer pessoa, mas ainda mais grave por tratar de quem se trata, o ex-presidente Lula. Mostra que é uma prisão política — argumentou.

O senador Jorge Viana (PT-AC) afirmou ser muito importante que a CDH faça a diligência e acrescentou que é preciso ainda ir ao corregedor do Conselho Nacional de Justiça denunciar que o ex-presidente Lula está no isolamento.

— Que tratamento diferente é esse que ele está recebendo, numa cela isolada, e que seus familiares nem ninguém podem chegar perto dele? — questionou, afirmando que o ex-presidente está incomunicável.

Na avaliação do senador Telmário Mota (PTB-RR), a situação do ex-presidente Lula é como uma tortura.

— Agora se adota um processo psicológico de isolamento absoluto para tentar implantar o desespero, a sensação do abandono, de impotência. Tentando lhe arrancar os últimos momentos de fé de esperança. Eu entendo isso como tortura — afirmou.

O senador Lindbergh Farias (PT-RJ) disse acreditar que a Justiça não irá impedir uma visita da Comissão de Direitos Humanos do Senado a um preso.

Audiências públicas
Na reunião da CDH desta quarta-feira, também foram aprovados três requerimentos do senador Paulo Paim (PT-RS) para realização de audiências públicas sobre o exercício da profissão de motorista sob a ótica do Estatuto do Motorista; sobre a situação do transporte coletivo urbano e semiurbano; e sobre os efeitos da Emenda Constitucional 95 para a Defensoria Pública da União.

Foi aprovado ainda requerimento para audiência pública conjunta com a Comissão de Serviços de Infraestrutura (CI) para debater os impactos da construção da EF 170 (Ferrogrão) sobre o desenvolvimento regional e a população local. A iniciativa foi do senador Paulo Rocha (PT-PA).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247