Congresso Nacional recebe reforma tributária pelas mãos de Guedes e Luiz Eduardo Ramos

“Hoje damos mais um passo significativo no rumo de fazermos a sonhada reforma tributária brasileira, que hoje vive num emaranhado de legislações, portarias, resoluções, complicam a vida dos investidores e atrapalham o ambiente brasileiro", disse o presidente do Senado, Davi Alcolumbre

Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre, Luiz Eduardo Ramos e Paulo Guedes
Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre, Luiz Eduardo Ramos e Paulo Guedes (Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente do Senado Federal, Davi Alcolumbre, concedeu entrevista coletiva nesta terça-feira (21) após receber a proposta de reforma tributária do governo Jair Bolsonaro. Em sua primeira fase, a reforma tributária prevê a unificação de PIS e Cofins.

 Ao lado de Alcolumbre estavam o ministro da Economia, Paulo Guedes, o ministro da Secretaria de Governo, general Luiz Eduardo Ramos, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, e outros parlamentares. 

“Hoje damos mais um passo significativo no rumo de fazermos a sonhada reforma tributária brasileira, que hoje vive num emaranhado de legislações, portarias, resoluções, complicam a vida dos investidores e atrapalham o ambiente brasileiro, e com ela teremos a oportunidade, de fato, de construir esse novo ambiente propício para o desenvolvimento”, disse Alcolumbre.

Reforma tributária:

A primeira fase da reforma consiste na unificação do PIS e Cofins, que resultaria em um tributo denominado CBS (Contribuição sobre Bens e Serviços), com alíquota de 12%.

A segunda fase trata do envio ao Congresso Nacional de uma proposta de reformulação dos impostos IPI e impostos indiretos sobre o consumo.

Na terceira fase o governo federal irá sugerir alterações nos impostos de renda, tanto para pessoas físicas quanto jurídicas.

A quarta fase trata da desoneração da folha de pagamentos e a criação de um imposto sobre transações financeiras.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247