Constrangido, Temer vai ao desfile sem faixa e em carro fechado

Michel Temer assistiu ao desfile da Independência em Brasília na companhia da Mulher Marcela Temer e do filho Michelzinho; acuado pela perspectiva de que uma nova denúncia contra ele seja apresentada pela PGR, Temer chegou ao evento em um carro fechado e sem exibir a faixa presidencial, ao contrário de seus antecessores; a exemplo do ano passado, a segurança barrou a entrada de pessoas com faixas, cartazes e bandeiras de grande porte para evitar protestos

Michel Temer assistiu ao desfile da Independência em Brasília na companhia da Mulher Marcela Temer e do filho Michelzinho; acuado pela perspectiva de que uma nova denúncia contra ele seja apresentada pela PGR, Temer chegou ao evento em um carro fechado e sem exibir a faixa presidencial, ao contrário de seus antecessores; a exemplo do ano passado, a segurança barrou a entrada de pessoas com faixas, cartazes e bandeiras de grande porte para evitar protestos
Michel Temer assistiu ao desfile da Independência em Brasília na companhia da Mulher Marcela Temer e do filho Michelzinho; acuado pela perspectiva de que uma nova denúncia contra ele seja apresentada pela PGR, Temer chegou ao evento em um carro fechado e sem exibir a faixa presidencial, ao contrário de seus antecessores; a exemplo do ano passado, a segurança barrou a entrada de pessoas com faixas, cartazes e bandeiras de grande porte para evitar protestos (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 - Michel Temer assistiu ao desfile da Independência em Brasília na companhia da Mulher Marcela Temer e do filho Michelzinho. Acuado pela perspectiva de que uma nova denúncia contra ele por obstrução da Justiça e organização criminosa seja apresentada pela Procuradoria Geral da República, Temer chegou ao evento em um carro fechado e sem a faixa presidencial, ao contrário de seus antecessores. Normalmente, os presidentes costumam participar do desfile da Independência a bordo de um Rolls Royce conversível da Presidência, de 1953.

No ano passado, ainda na primeira semana como chefe do Executivo, Temer foi vaiado e chamado de "golpista". O desfile acontece no mesmo dia em que que executivos e diretores da JBS devem depor para prestar esclarecimentos da gravação que ameaça a delação premiada que serviu de base da primeira denúncia contra o peemedebista e que acabou sendo arquivada pela Câmara.

Segundo a Presidência, a expectativa era que até 30 mil pessoas assistissem o desfile, porém muitas arquibancadas não foram ocupadas. A segurança barrou pessoas que portavam faixas, cartazes e bandeiras de grande porte ou com mastros. O mesmo procedimento de segurança foi adotado no desfile do ano passado.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247