Cunha bancava vice da Caixa com propina

Ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto disse que suas despesas pessoais eram pagas pelo hoje presidente afastado da Câmara com propina; segundo as investigações do Ministério Público Federal, o dinheiro usado era fruto de um esquema para liberar a empresas recursos do Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS) junto à Caixa

Ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto disse que suas despesas pessoais eram pagas pelo hoje presidente afastado da Câmara com propina; segundo as investigações do Ministério Público Federal, o dinheiro usado era fruto de um esquema para liberar a empresas recursos do Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS) junto à Caixa
Ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto disse que suas despesas pessoais eram pagas pelo hoje presidente afastado da Câmara com propina; segundo as investigações do Ministério Público Federal, o dinheiro usado era fruto de um esquema para liberar a empresas recursos do Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS) junto à Caixa (Foto: Roberta Namour)

247 - Em delação premiada, o ex-vice-presidente da Caixa Fábio Cleto disse que suas despesas pessoais eram pagas pelo hoje presidente afastado da Câmara com propina.

Cleto afirmou, segundo fontes com acesso às investigações, que o empresário Lúcio Funaro, preso na última sexta-feira na Operação Sépsis, chegou a pagar suas despesas pessoais no Brasil. Uma desavença entre Funaro e Cleto fez com que Cunha assumisse os pagamentos, de acordo com reportagem de Vinicius Sassine.

Segundo as investigações do Ministério Público Federal, o dinheiro usado era fruto de um esquema para liberar a empresas recursos do Fundo de Investimento do FGTS (FI-FGTS) junto à Caixa.

“O declarante recebia orientações de como proceder e agir dentro da Caixa tanto de Eduardo Cunha quanto de Lúcio Bolonha Funaro. No entanto, a contabilidade das propinas inicialmente era de responsabilidade de Funaro”, diz trecho da delação de Cleto.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247