Cunha: dos 66 deputados do PMDB, 33 são Aécio

Líder do PMDB na Casa, deputado Eduardo Cunha, diz que seu partido, maior da base governista, está dividido nesta eleição por ter se sentido preterido pelo governo: “O PMDB tem a nítida sensação de que não é partícipe de nada, nem da campanha eleitoral. O PMDB foi apenas um aluguel de tempo de televisão”; diante disso, sinaliza novamente aproximação com o PSDB e afirma que dos 66 deputados do PMDB, 33 estão com o tucano Aécio Neves

Líder do PMDB na Casa, deputado Eduardo Cunha, diz que seu partido, maior da base governista, está dividido nesta eleição por ter se sentido preterido pelo governo: “O PMDB tem a nítida sensação de que não é partícipe de nada, nem da campanha eleitoral. O PMDB foi apenas um aluguel de tempo de televisão”; diante disso, sinaliza novamente aproximação com o PSDB e afirma que dos 66 deputados do PMDB, 33 estão com o tucano Aécio Neves
Líder do PMDB na Casa, deputado Eduardo Cunha, diz que seu partido, maior da base governista, está dividido nesta eleição por ter se sentido preterido pelo governo: “O PMDB tem a nítida sensação de que não é partícipe de nada, nem da campanha eleitoral. O PMDB foi apenas um aluguel de tempo de televisão”; diante disso, sinaliza novamente aproximação com o PSDB e afirma que dos 66 deputados do PMDB, 33 estão com o tucano Aécio Neves (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Cotado como favorito para assumir a presidência da Câmara, líder do PMDB na Casa, deputado Eduardo Cunha, do Rio, sinaliza novamente possível aproximação com o PSDB.

Ele diz que seu partido, maior da base governista, está dividido nesta eleição por ter se sentido preterido. “O PMDB tem a nítida sensação de que não é partícipe de nada, nem da campanha eleitoral. O PMDB foi apenas um aluguel de tempo de televisão”, diz em entrevista à “Folha de S. Paulo”. Diante disso, afirma que dos 66 deputados do PMDB, 33 estão com o tucano Aécio Neves.

Quanto ao governo Dilma, diz que a presidente cometeu muitos erros políticos e teria de ter demitido a diretoria inteira da Petrobras quando começaram a surgir as acusações de corrupção dentro da estatal (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

Apoie o 247

WhatsApp Facebook Twitter Email