Cunha Lima ataca Traumann, que se defende

Líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, diz que o “governo Temer” tá começando muito mal: “ele tem como colaborador o Thomas Traumann, que fez o serviço sujo contra nós na internet na campanha presidencial de 2014"; ex-ministro de Comunicação Social de Dilma Rousseff rebate: há "falha factual" nas afirmações de Cunha Lima, já que ele era ministro e "não cuidava da campanha de Dilma na internet"

Líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, diz que o “governo Temer” tá começando muito mal: “ele tem como colaborador o Thomas Traumann, que fez o serviço sujo contra nós na internet na campanha presidencial de 2014"; ex-ministro de Comunicação Social de Dilma Rousseff rebate: há "falha factual" nas afirmações de Cunha Lima, já que ele era ministro e "não cuidava da campanha de Dilma na internet"
Líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, diz que o “governo Temer” tá começando muito mal: “ele tem como colaborador o Thomas Traumann, que fez o serviço sujo contra nós na internet na campanha presidencial de 2014"; ex-ministro de Comunicação Social de Dilma Rousseff rebate: há "falha factual" nas afirmações de Cunha Lima, já que ele era ministro e "não cuidava da campanha de Dilma na internet" (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O líder do PSDB no Senado, Cássio Cunha Lima, atacou Thomas Traumann, que se reuniu recentemente com o vice Michel Temer. Segundo a colunista Mônica Bergamo, o tucano diz que o “governo Temer” tá começando muito mal: “ele tem como colaborador o Thomas Traumann, que fez o serviço sujo contra nós na internet na campanha presidencial de 2014".

Ex-ministro de Comunicação Social de Dilma Rousseff rebate: há "falha factual" nas afirmações de Cunha Lima, já que ele era ministro e "não cuidava da campanha de Dilma na internet".

Afirma ainda que "é zero a chance de eu voltar a trabalhar em governo". Ele estaria apenas dando ideias a Temer sobre comunicação de governo "diante dos graves desafios que ele poderá enfrentar na hipótese de o impeachment passar no Senado".

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247