Decisão política mudará o tratamento de câncer no DF

Novo Centro de Oncologia do Hospital de Base estará preparado para salvar mais vidas

O simples pronunciar da palavra câncer era até há bem pouco tempo motivo de comoção, como se a morte se avizinhasse do paciente diagnosticado, sem nenhuma esperança. Mas os tempos mudaram e apesar do avanço da doença que, nas últimas décadas converteu-se em evidente problema de saúde pública mundial, os tratamentos disponíveis são cada vez melhores e permitem, no caso de bem acompanhados, uma sobrevida maior e de qualidade ao portador da enfermidade.

Para isso é de extrema importância a criação de unidades especializadas nos sistemas públicos de saúde que sistematizem a forma de tratamento e contem com uma equipe médica experiente na área de oncologia. Aqui no Distrito Federal esse é um sonho nosso que está prestes a se tornar realidade.

Atendendo a uma moção de minha autoria, aprovada por unanimidade na Câmara Legislativa, em 2011, o governador Agnelo tomou a decisão política de criar o Centro de Cirurgia Oncológica do Hospital de Base do DF, com o intuito de centralizar ai as operações de alto risco e dar melhores condições de atendimento aos pacientes de câncer. O pedido foi encaminhado sem sucesso pela Câmara a governos anteriores.

A concretização da medida foi resultado da visão e da vontade política e humana do governo, uma vez que o Distrito Federal já conta no Hospital de Base com uma equipe de profissionais altamente habilitados dentre eles o Dr Roland Montenegro da Costa, um dos responsáveis pela concepção do programa de criação da nova unidade de oncologia.

Um paciente com câncer e um histórico complicador por ter também outra doença, por exemplo, é diabético, já teve um AVC, é obeso, não pode de maneira nenhuma ser operado num hospital qualquer. Ele terá maiores chances de sobreviver se for atendido e acompanhado depois pela equipe do Centro de Cirurgia Oncológica do Hospital de Base.

Dados do Instituto Nacional do Câncer-INCA, indicam que em 2012, o DF terá 8.210 novos casos de câncer. Grande parte desta demanda recairá, obviamente, sobre o Hospital de Base.

Para se ter uma idéia, somente o total de novos casos de câncer de aparelho digestivo no DF e área de influência chega a 682 casos/ano. Ao Hospital de Base chegam 157 novos casos/ano. O câncer de estômago é a quarta causa mais comum de câncer e é um tipo de tumor com alta incidência e alto índice de mortalidade em todas as partes do mundo.

Os casos de cânceres mais freqüentes são o de mama para as mulheres e o de próstata para os homens, seguidos do de colo do útero para mulheres e do de cólon e reto para homens.

No Brasil as estimativas para este ano apontam a ocorrência de 518 mil novos casos de câncer, reforçando a magnitude do problema do câncer no país.

Há tipos predominantes de câncer dependendo do desenvolvimento dos países. Mas o Brasil convive tanto com os associados ao melhor nível econômico – mama, próstata e cólon/reto – quanto com os associados à pobreza – colo de útero, pênis, estômago e cavidade oral.

Os tipos mais incidentes em 2012 e 2013 serão os cânceres de pele não melanoma, próstata, pulmão, cólon, reto e estômago para o sexo masculino; e os cânceres de pele não melanoma, mama, colo de útero, cólon, reto e glândula tireóide para o sexo feminino.

A compreensão do governador da necessidade de tratar os casos de câncer por meio de uma unidade especializada em oncologia nos traz grande alegria e certamente trará muitos benefícios aos brasilienses.
No entanto, uma parte desta tarefa é nossa. A prevenção do câncer é essencial. Há fatores de risco que, em separado ou associados, podem desencadear o aparecimento da doença. A primeira é seguramente o tabagismo e a segunda o excesso de peso.

Façamos o que nos cabe.

Dep.Chico Vigilante
Líder do Bloco PT/PRB

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247