Deputado quer que TV Justiça deixe de televisionar sessões do STF

O PT quer emplacar na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara um projeto que proíbe a TV Justiça de transmitir as sessões do Supremo Tribunal Federal e demais tribunais superiores; a proposta, de 2013, é de autoria do deputado Vicente Cândido (PT-SP); "As entranhas da Justiça é que estão sendo mostradas com sensacionalismo exacerbado por parte de alguns ministros em particular", defende

04/04/2017- Brasília- DF, Brasil- Deputado, Vicente Candido lendo seu relatório da reforma política. Foto Lula Marques/AGPT
04/04/2017- Brasília- DF, Brasil- Deputado, Vicente Candido lendo seu relatório da reforma política. Foto Lula Marques/AGPT (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O PT quer emplacar na pauta da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara um projeto que proíbe a TV Justiça de transmitir as sessões do Supremo Tribunal Federal e demais tribunais superiores, noticia a Coluna do Estadão nesta segunda-feira 30. A proposta, de 2013, é de autoria do deputado Vicente Cândido (PT-SP).

Segundo a coluna, a proposta virou prioridade para o partido depois de a Corte negar habeas corpus apresentado contra a prisão do ex-presidente Lula. Petistas avaliam que o resultado poderia ser diferente não fosse a transmissão ao vivo gerar pressão sobre os ministros.

"As entranhas da Justiça é que estão sendo mostradas com sensacionalismo exacerbado por parte de alguns ministros em particular", defende o deputado, para quem as sessões expõem os ministros. O projeto prevê que a TV Justiça se limite a divulgar os atos do Poder Judiciário.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247