Dilma: governos do PT barraram o neoliberalismo e o neofascismo

Durante Encontro de Assinantes do 247 em Brasília, a presidente deposta pelo golpe falou sobre a entrada do neoliberalismo no Brasil e sua ascensão ao neofascismo. “Eles não conseguiram colocar o neoliberalismo facilmente, eles tiveram de destruir inclusive partidos de centro e centro-direita. E aí? Quem restou? O neofascismo. No Brasil, eles são dois irmãos xifópagos, aqueles ligados pela cabeça: o neoliberalismo e o neofascismo”. Assista

(Foto: Dilma -Rousseff internet Brasil 247)

247 - A presidente deposta pelo golpe em 2016, Dilma Rousseff, falou no último sábado 25 durante o Encontro de Assinantes do 247 em Brasília sobre as consequências da entrada do neoliberalismo no Brasil. Ela contou que os governos do PT impediram a entrada desta ideologia, porém, com a ajuda da mídia e do sistema financeiro, o neoliberalismo adentrou no Brasil e trouxe, junto de si, o neofascismo.

“Nós realizamos várias coisas a partir de 2003, uma delas foi impedir que o neoliberalismo ocorresse. Nós não democratizamos o maior banco comercial, o Banco do Brasil, o maior banco imobiliário, Caixa Econômica, o maior banco de investimento, BNDES, a maior empresa de petróleo, a maior empresa geradora de tecnologia na área aeronáutica, Embraer e Embrapa, mantivemos a regulação do mercado de trabalho e aprovamos o critério de reajuste do salário mínimo baseado na inflação desse ano e no crescimento do ano anterior”, enumerou. 

“Esse processo barrou o neoliberalismo, eles tentaram. Esse foi um processo sistemático, nós viemos desse processo e os governos do PT, certos ou errados em muita coisa, barraram o neoliberalismo”, analisou.

Ela disse que a prisão sem provas do ex-presidente Lula e a fraude eleitoral também integram o plano de ação do levante neoliberalista no país. Dilma afirmou ainda que o PSDB “caiu na sedução” do neoliberalismo e foi reduzido a praticamente nada. 

“Nós temos um caso muito clássico, que é: dão um golpe, aí tem um candidato que sempre disse ‘eles não vão deixar eu ser presidente porque deram um golpe no impeachment’, vão lá e prendem, incriminam sem prova, e o impedem de concorrer na eleição. Isso não basta, destroem os partidos de centro, de centro-direita e centro-esquerda, o que virou o PSDB? Eles caíram na sedução neoliberal e na sedução golpista, eles achavam que sobreviveriam. O senhor Serra, ao virar ministro das Relações Exteriores, acreditava que sobreviveria. Não sobreviveu”.

A ex-presidente explicou que o neoliberalismo, com dificuldades de se introduzir no campo político brasileiro, destruiu partidos e, por consequência, surgiu o neofascimo. Segundo ela, o neofascimo usou da mídia golpista e do sistema financeiro para se estabelecer no Brasil.

“Eles não conseguiram colocar o neoliberalismo facilmente, eles tiveram de destruir inclusive partidos de centro e centro-direita. E aí? Quem restou? O neofascismo. O que eu quero dizer é que no Brasil eles são dois irmãos xifópagos, aqueles ligados pela cabeça, o neoliberalismo e o neofascismo. O neofascismo para ocorrer precisou dessa aliança com o que sustenta o neoliberalismo, o setor financeiro desse país e a mídia golpista. Todos os que sustentam, apesar de não serem escatológicos, absolutamente toscos, apesar de não serem nada disso, eles viabilizaram isso, se calaram diante disso, supunham que conseguiriam mitigá-lo e moderá-lo. É essa relação que ilumina essa conjuntura”.

Dilma Rousseff disse que a reação do país está nas mãos da união dos setores democráticos brasileiros.

Soberania 

A ex-presidenta fez também uma rápida fala sobre soberania e em defesa da Amazônia: “Soberania são pelo menos três coisas: a Petrobrás, o Future-se, ao contrário, temos que defender a educação pública e gratuita, é uma questão de soberania, não só social. Esse país vai virar um ‘paiseco’ se não tiver educação de qualidade, e ele não pode virar um ‘paiseco’ com esse tamanho, com essa riqueza e com esse povo. A terceira coisa é a questão ambiental. A Amazônia não é só um patrimônio da humanidade, antes de ser um patrimônio da humanidade ela é um patrimônio do povo brasileiro, que tem que zelar por ela”. 

Inscreva-se na TV 247 e assista à entrevista na íntegra:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247