Diretor da PF exonera delegada que investigava interferência de Bolsonaro

O diretor-geral da PF, Rolando Alexandre de Souza, demitiu a delegada Christiane Correa Machado. Ela estava à frente do inquérito que apura a suspeita de interferência de Jair Bolsonaro na PF

Delegada Christiane Correa Machado
Delegada Christiane Correa Machado (Foto: Alex Ferreira - Câmara dos Deputados)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O diretor-geral da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza, demitiu a delegada Christiane Correa Machado da função de chefe do Serviço de Inquéritos da Diretoria de Investigação e Combate ao Crime Organizado (SINQ), responsável por investigar autoridades com foro especial.

Christiane Machado estava à frente do inquérito que apura a suspeita de interferência de Jair Bolsonaro na PF. Ela foi quem encaminhou ao então ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello ofício para ouvir Bolsonaro presencialmente. Com a aposentadoria de Mello, o processo foi redistribuído a Alexandre de Moraes. Bolsonaro ainda não depôs.

Em abril, Mello autorizou a abertura do inquérito para investigar eventuais tentativas de interferência na PF após o então ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, apontar crime de responsabilidade de Bolsonaro. "O presidente me relatou que queria ter uma indicação pessoal dele para ter informações pessoais. E isso não é função da PF", denunciou Moro.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247