Escolhido por Bolsonaro para PGR é primo de Vladimir Aras, que tratou Gleisi e Requião como "inimigos"

Augusto Aras é primo do procurador Vladimir Aras, que também disputava a indicação de Jair Bolsonaro para comandar a PGR. Diálogo revelado pelo Intercept, Vladimir aparece tratando a então senadora Gleisi Hoffmann e o senador Roberto Requião como inimigos. "Vc se elege fácil e impede um dos nossos inimigos no Senado: Requiao ou Gleise caem", escreveu Aras a Dallagnol

247 - Jair Bolsonaro escolheu nesta quinta-feira, 5, o subprocurador-geral Augusto Aras para substituir Raquel Dodge no comando da Procuradoria Geral da República (PGR). 

Augusto Aras é primo do procurador Vladimir Aras, que também disputava a indicação de Jair Bolsonaro para comandar a PGR. Integrante da força-tarefa da Lava Jato, Vladimir Aras apareceu em diálogos revelados pelo Intercept Brasil. 

Inicialmente pedindo ao procurador Deltan Dallagnol que fizesse lobby junto ao ex-juiz Sérgio Moro para que este atuasse em seu favorjunto a Jair Bolsonaro (leia mais). Nessa terça-feira, 3, o Intercept divulgou mensagens trocadas entre entre Vladimir Aras e Deltan Dallagnol em que eles tratam Gleisi e Requião como inimigos. 

"Vc se elege fácil e impede um dos nossos inimigos no Senado: Requiao ou Gleise caem", escreveu o procurador Vladimir Aras a Deltan Dallagnol, que queria concorrer ao Senado pelo Paraná. Aras sugeriu ainda o nome de Sergio Moro (leia mais no Brasil 247).

Pela primeira vez em 16 anos, o novo PGR não está na lista tríplice escolhida em eleição interna da associação nacional de procuradores. Neste ano, os três nomes mais votados foram: Mário Bonsaglia, Luiza Frischeisen e Blal Dalloul. Augusto Aras precisa agora ser aprovado em sabatina do Senado. O mandato é de dois anos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247