Fiesp instala seu pato diante do Congresso

No dia em que o PMDB rompeu com o governo da presidente Dilma Rousseff, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), presidida por Paulo Skaf, instalou um pato gigante e 5 mil patinhos no gramado do Congresso Nacional, em ato pelo impeachment; para Skaf, o pato, da campanha "Chega de pagar o pato", representa o sentimento da sociedade

No dia em que o PMDB rompeu com o governo da presidente Dilma Rousseff, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), presidida por Paulo Skaf, instalou um pato gigante e 5 mil patinhos no gramado do Congresso Nacional, em ato pelo impeachment; para Skaf, o pato, da campanha "Chega de pagar o pato", representa o sentimento da sociedade
No dia em que o PMDB rompeu com o governo da presidente Dilma Rousseff, a Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), presidida por Paulo Skaf, instalou um pato gigante e 5 mil patinhos no gramado do Congresso Nacional, em ato pelo impeachment; para Skaf, o pato, da campanha "Chega de pagar o pato", representa o sentimento da sociedade (Foto: Gisele Federicce)

Brasília 247 – A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), presidida por Paulo Skaf, instalou um pato gigante e 5 mil patinhos no gramado do Congresso Nacional nesta terça-feira 29, dia em que o PMDB rompeu com o governo da presidente Dilma Rousseff.

A instalação dos patos em frente ao Congresso é um ato a favor do impeachment. De acordo com Skaf, o pato, que faz parte da campanha "Chega de pagar o pato" e está sempre presente nas manifestações contra o governo na Avenida Paulista, representa o sentimento da sociedade em relação ao governo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247