Flávio Bolsonaro não apoia CPI da Lava Toga e sofre pressão nas redes

"Uma CPI bota fogo no país, ninguém sabe como termina. A quem interessa uma instabilidade política nesse momento?", justificou o senador do PSL, que está sendo fortemente cobrado pela trupe bolsonarista

Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. 

Em pronunciamento, à bancada, senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ).

Foto: Roque de Sá/Agência Senado
Plenário do Senado Federal durante sessão deliberativa ordinária. Em pronunciamento, à bancada, senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ). Foto: Roque de Sá/Agência Senado (Foto: Roque de Sá)

247 - O senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) está experimentando mais uma vez o gostinho da pressão da trupe bolsonarista nas redes sociais, após não ter assinado o requerimento para a criação da CPI da Lava Toga, que tem como proposta investigar ministros de cortes superiores.

O parlamentar tentou justificar sua decisões em postagens na internet: "uma CPI bota fogo no país, ninguém sabe como termina. A quem interessa uma instabilidade política nesse momento?".

Quando publicou textos referentes a outros temas, recebeu uma enchurrada de comentários falando sobre a CPI e criticando sua atitude.

Não é a primeira vez que Flávio é alvo do exército bolsonarista, que já o criticou por não esclarecer as acusações que o envolvem com o ex-assessor e operador da família Fabrício Queiroz.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247