CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
Brasília

Fux analisará pedido da PGR para investigar Romário, Jutahy e Maia

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi designado, por sorteio, para analisar um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para investigar o senador Romário (PSB-RJ) e os deputados federais Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Jutahy Júnior (PSDB-BA); o ponto de partida para o Ministério Público solicitar a investigação dos três políticos foi a troca de mensagens entre o presidente licenciado do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e o ex-presidente da construtora OAS Léo Pinheiro; com base nas mensagens telefônicas, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quer autorização do Supremo para investigar Romário, Maia e Jutahy por corrupção passiva e lavagem de dinheiro

Imagem Thumbnail
O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi designado, por sorteio, para analisar um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para investigar o senador Romário (PSB-RJ) e os deputados federais Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Jutahy Júnior (PSDB-BA); o ponto de partida para o Ministério Público solicitar a investigação dos três políticos foi a troca de mensagens entre o presidente licenciado do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e o ex-presidente da construtora OAS Léo Pinheiro; com base nas mensagens telefônicas, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quer autorização do Supremo para investigar Romário, Maia e Jutahy por corrupção passiva e lavagem de dinheiro (Foto: Valter Lima)
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

✅ Receba as notícias do Brasil 247 e da TV 247 no canal do Brasil 247 e na comunidade 247 no WhatsApp.

247 - O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), foi designado, por sorteio, para analisar um pedido da Procuradoria Geral da República (PGR) para investigar o senador Romário (PSB-RJ) e os deputados federais Rodrigo Maia (DEM-RJ) e Jutahy Júnior (PSDB-BA).

O ponto de partida para o Ministério Público solicitar a investigação dos três políticos foi a troca de mensagens entre o presidente licenciado do Grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e o ex-presidente da construtora OAS Léo Pinheiro.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Com base nas mensagens telefônicas, o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quer autorização do Supremo para investigar Romário, Maia e Jutahy por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O nome de Romário apareceu na troca de mensagens entre Marcelo Odebrecht e seu subordinado Benedicto Barbosa da Silva Júnior, descobertas no ano passado, quando o empreiteiro foi preso pela Operação Lava Jato. Benedicto também chegou a ser preso. A Polícia Federal encontrou com o funcionário da Odebrecht planilhas com o controle de valores distribuídos a mais de 200 políticos.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Ele teria recebido doação ilegal da construtora Odebrecht para sua campanha ao Senado em 2014. A construtora teria doado R$ 100 mil ao parlamentar não declarados à Justiça.

O nome de Rodrigo Maia também aparece em mensagens encontradas no celular de Léo Pinheiro. "A doação de 250 vai entrar?", diz Maia ao empreiteiro. Dois dias depois, mostram as mensagens, o deputado do DEM insiste com o então presidente da OAS: "Se tiver ainda algum limite pra doação, não esquece da campanha aqui", escreveu o parlamentar fluminense a Léo Pinheiro.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Oficialmente, também não aparece doação da OAS para Rodrigo Maia na Justiça Eleitoral.

O MP descobriu que Jutahy Júnior marcou uma reunião com Léo Pinheiro em um dia e, no outro, recebeu doação de R$ 30 mil.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

Depois, em uma mensagem ao executivo da OAS, o deputado tucano questiona quando receberia a segunda parte. "Caso seja possível, gostaria de sua ajuda pra que Varjão (OAS) completasse o combinado. Desde já, agradeço a grande ajuda que vocês deram a minha campanha", escreveu Jutahy em mensagem telefônica.

Como não houve uma segunda doação oficial, o Ministério Público apura se houve pagamento a algum fornecedor do deputado do PSDB.

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

 

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO

iBest: 247 é o melhor canal de política do Brasil no voto popular

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO
CONTINUA APÓS O ANÚNCIO