Gilmar Mendes descarta novas eleições

Próximo presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o ministro Gilmar Mendes não vê viabilidade para novas eleições gerais em outubro deste ano nem em 2017: "Se essa ideia for adiante, certamente vai suscitar questionamentos. Para que ocorra, seria necessário alterar a Constituição. E ainda que se consiga, a questão prática é complicadíssima. Realizar eleições requer um gigantesco trabalho e planejamento", disse

Próximo presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o ministro Gilmar Mendes não vê viabilidade para novas eleições gerais em outubro deste ano nem em 2017: "Se essa ideia for adiante, certamente vai suscitar questionamentos. Para que ocorra, seria necessário alterar a Constituição. E ainda que se consiga, a questão prática é complicadíssima. Realizar eleições requer um gigantesco trabalho e planejamento", disse
Próximo presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o ministro Gilmar Mendes não vê viabilidade para novas eleições gerais em outubro deste ano nem em 2017: "Se essa ideia for adiante, certamente vai suscitar questionamentos. Para que ocorra, seria necessário alterar a Constituição. E ainda que se consiga, a questão prática é complicadíssima. Realizar eleições requer um gigantesco trabalho e planejamento", disse (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Próximo presidente do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), o ministro Gilmar Mendes não vê viabilidade para novas eleições gerais em outubro deste ano nem em 2017. 

"Se essa ideia for adiante, certamente vai suscitar questionamentos. Para que ocorra, seria necessário alterar a Constituição. E ainda que se consiga, a questão prática é complicadíssima. Realizar eleições requer um gigantesco trabalho e planejamento", disse Mendes.

Na semana passada, um grupo de senadores apresentou uma PEC para colocar o tema na pauta do Congresso. A proposta é defendida por alguns aliados da presidente Dilma Rousseff.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email