Gilmar Mendes nega pedido de bolsonaristas para mudar comando da CPI das Fake News

O pedido havia sido feito pela deputada Bia Kicis (PSL-DF). Gilmar Mendes, do STF, ainda defendeu a CPI, afirmando que os fatos apurados pela comissão são "da mais alta relevância” para preservar a ordem constitucional

Ministro Gilmar Mendes
Ministro Gilmar Mendes (Foto: REUTERS/Adriano Machado)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), negou um pedido de parlamentares bolsonaristas para tirar o comando da CPI das Fake News o senador Ângelo Coronel (PSD-BA) e a sua relatora, a deputada federal Lídice da Mata (PSB-BA). O pedido havia sido feito pela deputada Bia Kicis (PSL-DF).

"Embaraçar essa investigação não é direito, e muito menos líquido e certo, de ninguém", disse Gilmar Mendes, ao afirmar ser contra qualquer tipo de medida para atrapalhar a investigação. A negação do pedido foi realizado na sexta-feira, 14. Ele ainda defendeu a CPI, afirmando que os fatos apurados pela comissão são "da mais alta relevância” para preservar a ordem constitucional.

Ele afirma que a CPI busca desvendar "a atuação de verdadeiras quadrilhas organizadas" que "impulsionam estratégias de desinformação" e que atuam como "milícias digitais que manipulam o debate público e violam a ordem democrática".

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247