Glenn desmonta hipocrisia do PSL ao defender Moro

Em fala na Câmara dos Deputados, o jornalista criticou o partido do governo de defender o ministro Sérgio Moro alegando que enquanto juiz Moro teria feitos coisas "muito boas para o país"; "O fim dele não justifica os meios que ele usou", afirmou

Foto Vinicius Loures/Camara dos Deputados
Foto Vinicius Loures/Camara dos Deputados (Foto: Vinicius Loures/Câmara dos Deputados)

247 - Durante sua fala na Comissão de Direitos Humanos e Minorias, na Câmara dos Deputados, nesta terça-feira (25), o jornalista Glenn Greenwald, responsável pelos vazamentos de diálogos do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, e procuradores da Lava Jato, criticou o PSL sobre defender o ex-juiz da Lava Jato sob os argumentos de que ele já teria feito coisas "muito boas" ao país.

“Outra coisa interessante para mim é que o partido do governo ficou muitos anos acusando o PT de que eles têm uma mentalidade de que Lula era um presidente que fez coisas muito boas para esse país, que ele tirou milhões de pessoas da pobreza, que ele transformou a imagem desse país internacionalmente e por isso deve ter impunidade. Na realidade esse é o contrário da mentalidade do Lula, eu entrevistei o presidente duas vezes e ele disse: ‘se tem evidências de que eu cometi crimes eu deveria ser preso independentemente do fato de que eu fiz coisas boas para esse país’, lembrou Glenn.

O jornalista disse que agora ouve dos membros do PSL o mesmo argumento em relação a Moro. “Agora estou ouvindo do partido do governo a mesma mentalidade, de que Sérgio Moro fez coisas muito boas para este país, colocou criminosos na prisão, ele fez isso, eu elogiei o trabalho da Lava Jato, eu defendi o trabalho da Lava Jato, eu sou a favor da luta contra a corrupção. O fato de que Sérgio Moro fez coisas boas para esse país não significa que ele tem o direito de quebrar a lei, ser corrupto, quebrar código de ética e fazer qualquer coisa que ele quiser porque o fim dele não justifica os meios que ele usou”.
 

Deputado federal pelo Rio de Janeiro, Marcelo Freixo (PSOL) criticou em seu Twitter a ausência de deputados que atacaram Greenwald em audiência hoje com o jornalista.

Deputados do PSL que de forma leviana atacaram, difamaram e espalharam fakenews contra @ggreenwald do @theintercept não apareceram na Comissão de DH pra a audiência com o jornalista. Podiam fazer todos os questionamentos que desejassem cara a cara com Glenn, mas se ausentaram.
— Marcelo Freixo (@MarceloFreixo) 25 de junho de 2019

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247