Governo quer reconstruir 60 mamas

Em maro, o governo vai fazer o terceiro mutiro para reconstruir a mama de mulheres que passaram por mastectomia em decorrncia do cncer; meta atender a 60 pacientes de uma vez e zerar a fila at o fim de 2012

Agência Brasília – No mês em que se comemora o Dia Internacional da Mulher, celebrado em 8 de março, o Governo do Distrito Federal promoverá o terceiro mutirão para reconstruir a mama de mulheres que passaram por mastectomia (retirada do seio) em decorrência do câncer de mama. A meta é atender a 60 pacientes que aguardam pela reconstituição do seio. Esse número representa metade da atual lista de espera no DF, com cerca de 120 mulheres. A expectativa é que todas elas passem pelo procedimento até o final de 2012.

A atenção às mulheres que precisam da cirurgia é uma das prioridades em Saúde da gestão Agnelo Queiroz. No ano passado, foram realizados dois mutirões pela Secretaria de Saúde em parceira com a Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP). Somente em 2011, 165 mulheres passaram pelo procedimento cirúrgico na rede pública de saúde do Distrito Federal – em governos anteriores, a média era de 70 cirurgias por ano.

Em 2011, o mutirão contou com a participação de 120 cirurgiões plásticos, especialistas em reconstrução mamária (do DF e de outros estados), 32 anestesiologistas e 90 profissionais de enfermagem. Alguns procedimentos podem durar até cinco horas. Foram usadas 19 salas de cirurgia na rede pública e 11 na rede privada.

Cirurgia imediata – Quando a fila de espera estiver “zerada”, estará disponível a cirurgia de reconstrução imediata em pacientes aptas para o procedimento reconstrutivo. Isso será feito na mesma cirurgia da mastectomia, além de continuar o programa de reconstruções tardias. Também está previsto, ainda para este ano, a disponibilização da cirurgia nos hospitais de Santa Maria e Sobradinho. Atualmente, o procedimento é realizado no Hospital Regional da Asa Norte (HRAN), referência em cirurgia plástica no DF.

O Mutirão de Reconstrução Mamária é realizado com o objetivo de mudar a vida de mulheres que passaram por mastectomia devido ao câncer de mama. Esse trabalho já faz parte do programa de Atenção à Saúde da Mulher, que se encontra em fase de elaboração e estará totalmente concluído e implantado ainda neste ano.

Atualmente, as mulheres que passaram por mastectomia e aguardam a nova cirurgia de mama recebem próteses mamárias. A primeira-dama do DF, Ilza Queiroz, que é médica, coordena uma ação permanente de doação de material para confecção de próteses mamárias artesanais. A ação é realizada pelo programa Prótese Mamária Externa – Doando Autoestima, desenvolvido pela Rede Feminina de Combate ao Câncer, no Hospital de Base.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247