Greve de 48 horas na UnB

Professores e funcionrios da Fundao da Universidade de Braslia aderiram ao movimento; objetivo dos docentes discutir a reestruturao da carreira

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 – Uma nova greve dos professores começou no Distrito Federal. Desta vez, são os docentes da UnB que decidiram por cruzar os braços. O Sindicato dos Trabalhadores da Fundação da Universidade de Brasília (SINTFUB) também aderiu ao movimento que desta terça-feira 24. Paralisação deve permanecer nesta quarta-feira 25.

Os servidores da Universidade de Brasília reivindicam o cumprimento do acordo feito em novembro de 2011, que garantia um aumento de 4% no salário dos professores das universidades públicas federais de Ensino Superior. De acordo com a Associação dos Docentes da Universidade de Brasília (ADUnB), caso o governo não cumpra as exigências, nos dias 9 e 10 de maio haverá uma nova paralisação. "Precisamos discutir a carreira docente e o salário do professor", justifica o presidente da, Ebnezer Nogueira. Na semana passada, uma pesquisa de opinião da ADUnB revelou que 61% dos professores são favoráveis ao indicativo de greve para o dia 15 de maio.

O SINTFUB também pede o cumprimento do acordo firmado com o governo. "A greve do ano passado foi evitada, mas, se o não cumprirem o acordo, faremos nova paralisação", é o que garante o sindicalista Mauro Mendes. No Restaurante Universitário, 50% do efetivo não trabalhou nesta terça.

Uma reunião dos servidores está marcada para esta quarta-feira 25, em frente ao Palácio do Planalto.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email