Inquérito de Temer pode sair das mãos de Barroso

Os investigados no Inquérito dos Portos celebram uma chance de tirar o caso da alçada do ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso; a chance está no fato de a Polícia Federal ter anexado os dados de um inquérito de 2011 - que também trazia Michel Temer como recebedor de propina decorrente de operações fraudulentas no porto de Santos - ao novo inquérito que investiga as fraudes portuárias; o antigo processo era relatado pelo ministro Marco Aurélio Mello, tido como "menos duro" que Barroso

Brasília - Ministro Roberto Barroso em sessão plenária do STF para definir a fixação da tese de repercussão geral nas ações que tratam da desaposentação (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - Ministro Roberto Barroso em sessão plenária do STF para definir a fixação da tese de repercussão geral nas ações que tratam da desaposentação (José Cruz/Agência Brasil) (Foto: Gustavo Conde)

247 - Os investigados no Inquérito dos Portos celebram uma chance de tirar o caso da alçada do ministro do Supremo Tribunal Federal, Luís Roberto Barroso. A chance está no fato de a Polícia Federal ter anexado os dados de um inquérito de 2011 - que também trazia Michel Temer como recebedor de propina decorrente de operações fraudulentas no porto de Santos - ao novo inquérito que investiga as fraudes portuárias. O antigo processo era relatado pelo ministro Marco Aurélio Mello, tido como "menos duro" que Barroso.

"A brecha apontada por criminalistas, por enquanto, é apenas uma carta na manga a ser usada caso as investigações avancem muito. Se houver a provocação ao Supremo e a Corte entender que o caso é de Marco Aurélio, medidas tomadas por Barroso poderiam até ser anuladas.

Barroso já determinou a prisão de amigos de Temer dentro da Operação Skala; busca e apreensão em endereços deles e a quebra dos sigilos do próprio emedebista".

Leia mais aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247