Invasores da embaixada são milicianos fardados que podem estar armados, diz Paulo Pimenta

O líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta, informa que os invasores da embaixada venezuelana em Brasília são milicianos fardados, brasileiros e venezuelanos. Vários carros foram usados na invasão na madrugada desta quarta-feira. Pimenta está dentro do terreno da embaixada desde o início da manhã, convocado pelos diplomatas da Venezuela

(Foto: Reprodução)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O líder do PT na Câmara dos Deputados, Paulo Pimenta (RS), informou que os invasores da embaixada da Venezuela  em Brasília são milicianos fardados, tanto brasileiros como venezuelanos. Todos trajam camisas brancas e calças jeans, idênticas. Vários carros foram usados na invasão na madrugada desta quarta-feira (13).

Paulo Pimenta  foi à embaixada no início  manhã desta quarta, convocado pelos diplomatas. Ele está no terreno da embaixada, do lado externo. A invasão ocorreu por volta das 4h. Segundo o parlamentar, os milicianos podem estar armados, mas não é possível ainda afirma com certeza. "Mas não se trata de militantes, são mesmo milicianos pagos, pelo que deu para notar das poucas palavras trocadas com eles", disse.

Os invasores apoiam o autoproclamado presidente da Venezuela, Juan Guaidó, aliado das forças que tentam um golpe contra o governo de Nicolás Maduro. 

A Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF) está nos portões da embaixada, mas não entrou, pois trata-se de território venezuelano. A PM não agiu contra o líder dos invadores, que foi expulso da embaixada.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email