Janot pede pena maior a Temer por chefiar quadrilhão

O procurador-geral também afirma que a quadrilha liderada por Temer usou órgãos públicos como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados para roubar e pede a devolução de R$ 55 milhões

O procurador-geral também afirma que a quadrilha liderada por Temer usou órgãos públicos como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados para roubar e pede a devolução de R$ 55 milhões
O procurador-geral também afirma que a quadrilha liderada por Temer usou órgãos públicos como Petrobras, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados para roubar e pede a devolução de R$ 55 milhões (Foto: Leonardo Attuch)

247 – O papel de liderança na quadrilha deve render a Michel Temer uma pena maior, sustenta o procurador-geral Rodrigo Janot.

"Ao denunciar o ‘Quadrilhão do PMDB’ na Câmara, o procurador-geral da República pede uma pena maior a Michel Temer em razão de seu suposto papel de liderança da organização criminosa de peemedebistas. Rodrigo Janot ainda quer que os supostos integrantes do grupo paguem R$ 55 milhões", informa o blog de Fausto Macedo.

O procurador-geral sustenta que os peemedebistas usaram órgãos públicos, como Petrobrás, Furnas, Caixa Econômica, Ministério da Integração Nacional e Câmara dos Deputados para cometer crimes. Temer é apontado como o líder da organização criminosa deste maio de 2016.

"Ao pedir punições aos acusados, Janot pede condenação pelo crime de organização criminosa a Temer, Cunha, Henrique Alves, Geddel, Rodrigo Rocha Loures, Eliseu Padilha e Moreira Franco. A pena é de três a oito anos", diz a reportagem.

“Em relação a Michel Temer incide também o artigo 2.º, § 3″, daquele diploma legal por ter atuado como líder da organização criminosa desde maio de 2016”, sustenta.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247