Jungmann vai investigar vazamento que comprometeu a família de Temer

O ministro da Segurança, Raul Jungmann, soltou uma nota relatando que pediu ao Diretor da Polícia Federal a apuração do suposto vazamento de trechos do inquérito policial que apura irregularidades nas instalações portuárias; informações de favorecimento a parentes de Michel Temer ganharam destaque ontem na imprensa e nas mídias digitais e desencadearam um crise política no planalto

Brasília - Ministro da Defesa, Raul Jungmann, após reunião com o presidente Temer no Palácio do Planalto, fala sobre operação do Exército ao cerco a criminosos na Rocinha, no Rio de Janeiro (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - Ministro da Defesa, Raul Jungmann, após reunião com o presidente Temer no Palácio do Planalto, fala sobre operação do Exército ao cerco a criminosos na Rocinha, no Rio de Janeiro (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Gustavo Conde)

247 – O ministro da Segurança, Raul Jungmann, soltou uma nota relatando que pediu ao Diretor da Polícia Federal a apuração do suposto vazamento de trechos do inquérito policial que apura irregularidades nas instalações portuárias. Informações de favorecimento a parentes de Michel Temer ganharam destaque ontem na imprensa e nas mídias digitais.

A Polícia Federal suspeita que Temer possa ter lavado dinheiro que recebeu como propina em reformas nas casas de familiares e em transações imobiliárias dissimuladas.

Na nota, Jungmann acrescentou: “no estado democrático de direito (...) não é admissível comprometer o legítimo direito de defesa e a presunção de inocência de qualquer cidadão ou do Senhor Presidente da República”. E concluiu: “a violação do sigilo profissional pelos responsáveis pela condução dessa ou de qualquer outra investigação é conduta passível de sanção administrativo-disciplinar, cível e penal. Além disso, depõe contra o reconhecido profissionalismo das instituições investigadoras”.

Leia mais aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247