Justiça se curva ao governo Bolsonaro, diz Alencar Santana Braga

Deputado do PT aponta denuncia suspeita por mudança de decisão de juíza contra a compra de votos pela reforma da Previdência; "Entramos na justiça pedindo anulação das emendas parlamentares liberadas aos deputados devido a inúmeras irregularidades. Juíza deu liminar favorável às 17h12 e as 17h28, 16 minutos após, ela mesmo muda a própria decisão", afirmou

(Foto: PT/Câmara)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O deputado federal Alencar Santana Braga denunciou em suas redes sociais o que chamou de "escândalo" e afirmou que a Justica 'se curvou' ao governo Jair Bolsonaro em questão relacionada à compra de votos por meio de emendas parlamentares. 

A juíza Raquel Soares Chiarelli, da Justiça Federal do Distrito Federal, atendeu a um pedido de liminar apresentado por deputados federais do PT contra a compra de votos e, 16 minutos depois, mudou de posição, suspendendo a liminar que interromperia a votação na Câmara.

"Escândalo: Justiça se curva ao governo Bolsonaro. Entramos na justiça pedindo anulação das emendas parlamentares liberadas aos deputados devido a inúmeras irregularidades. Juíza deu liminar favorável às 17h12 e as 17h28, 16 minutos após, ela mesmo muda a própria decisão", postou Alencar no Twitter.

O deputado Alexandre Padilha publicou um vídeo com a seguinte mensagem antes da reversão da decisão: "BOMBAAA !Justiça manda cancelar a "compra de votos c/emendas" p/votar a mudança da Previdência.Quem trocou seu voto por R$40milhões recebeu cheque s/ fundo de Bolsonaro". Assista abaixo:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247