Lindbergh: “governo Temer acabou hoje”

Líder do PT no Senado comemora a derrota do governo com a rejeição do relatório da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) na Casa nesta terça-feira 20 e lembra que o governo Temer "estava se sustentando com um argumento só. Quem segurava ele era o mercado financeiro, para aprovar as reformas"; Lindbergh destaca que "ficou claro hoje que ele não tem maioria para provar a reforma da Previdência na Câmara" e agora a reforma trabalhista; o reflexo da vitória na CAS, para ele, "será gigantesco"

Líder do PT no Senado comemora a derrota do governo com a rejeição do relatório da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) na Casa nesta terça-feira 20 e lembra que o governo Temer "estava se sustentando com um argumento só. Quem segurava ele era o mercado financeiro, para aprovar as reformas"; Lindbergh destaca que "ficou claro hoje que ele não tem maioria para provar a reforma da Previdência na Câmara" e agora a reforma trabalhista; o reflexo da vitória na CAS, para ele, "será gigantesco"
Líder do PT no Senado comemora a derrota do governo com a rejeição do relatório da reforma trabalhista na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) na Casa nesta terça-feira 20 e lembra que o governo Temer "estava se sustentando com um argumento só. Quem segurava ele era o mercado financeiro, para aprovar as reformas"; Lindbergh destaca que "ficou claro hoje que ele não tem maioria para provar a reforma da Previdência na Câmara" e agora a reforma trabalhista; o reflexo da vitória na CAS, para ele, "será gigantesco" (Foto: Gisele Federicce)

247 – Após a derrota do governo Michel Temer na Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, que rejeitou nesta terça-feira 20 o relatório da reforma trabalhista, os senadores Lindbergh Farias (PT-RJ), líder do PT na Casa, e Paulo Paim (PT-RS), autor de parecer alternativo que foi aprovado por unanimidade, gravaram um vídeo para explicar os próximos passos da tramitação da matéria.

Para Lindbergh, "o governo Temer acabou" com a derrota de hoje. Ele "estava se sustentando com um argumento só. Quem segurava ele era o mercado financeiro, para aprovar as reformas", disse. O senador acrescenta que "ficou claro hoje que ele não tem maioria para provar a reforma da Previdência na Câmara" e agora a reforma trabalhista. Para Lindbergh, o reflexo da vitória na CAS "será gigantesco".

Emocionado, Paim destacou a importância de não se desistir da luta e que ouviu relatos de que "há uma festa em cada fábrica" no Brasil com a rejeição do relatório. Lindbergh avalia que "o dia de hoje pode ser o dia daquela virada", pois "o Temer fica muito fragilizado. O senador convocou a população para se mobilizar no próximo dia 30 em protesto contra as medidas.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247