Lula vai a Brasília articular votos pró-Dilma

Ex-presidente Lula teria se convencido de que a proposta de um plebiscito para novas eleições presidenciais, defendida por alguns senadores aliados a Dilma, não é suficiente para reverter o impeachment; para ele, a tese só é viável caso haja o apoio público de pelo menos 27 dos 81 senadores; Lula também se comprometeu a conversar com Guilherme Boulos, do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), e com Vagner Freitas, da CUT (Central Única dos Trabalhadores), para alinhar um discurso sobre o tema

Brasília - O novo ministro da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de posse (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O novo ministro da Casa Civil, Luiz Inácio Lula da Silva, durante cerimônia de posse (José Cruz/Agência Brasil) (Foto: Roberta Namour)

247 - O ex-presidente Lula viaja a Brasília nesta quarta-feira (6) para articular votos a favor de Dilma Rousseff em reunião com senadores.

Segundo reportagem de Marina Dias, Lula se convenceu de que a proposta de um plebiscito para novas eleições presidenciais, defendida por alguns senadores aliados a Dilma, não é suficiente para reverter o impeachment.

Para ele, a tese só é viável caso haja o apoio público de pelo menos 27 dos 81 senadores.

Lula também se comprometeu a conversar com Guilherme Boulos, do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), e com Vagner Freitas, da CUT (Central Única dos Trabalhadores), ambos simpáticos à ideia do plebiscito, para que evitem falar do assunto enquanto não houver a lista dos senadores dispostos a bancar a proposta.

O líder do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), João Pedro Stedile, por sua vez, se posicionou contra – leia aqui.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247