Maia pede que STF rejeite ação que o obriga a analisar impeachment de Bolsonaro

Na manifestação enviada ao decano do STF, ministro Celso de Mello, Rodrigo Maia defende que impeachment é uma ‘solução extrema’

Celso de Mello e Rodrigo Maia.
Celso de Mello e Rodrigo Maia. (Foto: ABr)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, pediu nesta terça-feira, 12, ao ministro Celso de Mello que rejeite uma ação que cobra dele a análise imediata do impeachment de Jair Bolsonaro.

Na manifestação enviada ao decano do STF, Rodrigo Maia defende que impeachment é uma ‘solução extrema’ e não há nenhuma norma legal, ou do regimento da Câmara, que fixe um prazo para que os pedidos de afastamento do presidente da República sejam analisados pelos parlamentares.

“O impeachment é uma solução extrema: o primeiro juiz das autoridades eleitas numa democracia deve ser sempre o voto popular. A Presidência da Câmara dos Deputados, ao despachar as denúncias contra o chefe do Poder Executivo, deve sopesar cuidadosamente os aspectos jurídicos e político-institucionais envolvidos. O tempo dessa decisão, contudo, pela própria natureza dela, não é objeto de qualquer norma legal ou regimental”, frisou Maia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247