Maranhão recua e convoca sessões do Plenário

Presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), recuou na decisão de não convocar sessões deliberativas na Casa nesta próxima semana; pepista havia decidido que as votações voltariam a acontecer somente a partir de 5 julho, por conta das festas juninas; Maranhão revelou que sofreu pressão de vários líderes para manter o funcionamento da Casa; "Se a Casa parar para homenagear cada um dos Santos que existe, ela não terá mais nenhuma sessão de votação", disse o primeiro secretário da Câmara, Mansur Mansour (PRB-SP)

Presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), recuou na decisão de não convocar sessões deliberativas na Casa nesta próxima semana; pepista havia decidido que as votações voltariam a acontecer somente a partir de 5 julho, por conta das festas juninas; Maranhão revelou que sofreu pressão de vários líderes para manter o funcionamento da Casa; "Se a Casa parar para homenagear cada um dos Santos que existe, ela não terá mais nenhuma sessão de votação", disse o primeiro secretário da Câmara, Mansur Mansour (PRB-SP)
Presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), recuou na decisão de não convocar sessões deliberativas na Casa nesta próxima semana; pepista havia decidido que as votações voltariam a acontecer somente a partir de 5 julho, por conta das festas juninas; Maranhão revelou que sofreu pressão de vários líderes para manter o funcionamento da Casa; "Se a Casa parar para homenagear cada um dos Santos que existe, ela não terá mais nenhuma sessão de votação", disse o primeiro secretário da Câmara, Mansur Mansour (PRB-SP) (Foto: Aquiles Lins)

Brasília 247- O presidente em exercício da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA), recuou na decisão de não convocar sessões deliberativas na Casa nesta próxima semana. Maranhão tinha decidido que as votações voltariam a acontecer somente a partir de 5 julho, por conta das festas juninas.

Maranhão revelou que sofreu pressão de vários líderes para manter o funcionamento da Casa. O primeiro-secretário da Câmara, Beto Mansur (PRB-SP) foi um dos que insistiu para que a Casa trabalhasse na semana que vem. Ele considera que não dá para a Casa ficar paralisada diante da crise que o país vive. "Se a Casa parar para homenagear cada um dos Santos que existe, ela não terá mais nenhuma sessão de votação", disse Mansur.

Muitos funcionários estão revoltados, porque haviam inclusive comprado passagens aéreas para a semana de folga. O aviso enviado aos servidores informa ainda que haverá sessão deliberativa a partir das 16hs, nesta segunda-feira.

Antes da suspensão das sessões da próxima semana, que serão retomadas na segunda, o governo tinha a expectativa de votar medida provisória que institui normas sobre o controle de doping no esporte - proposta importante para o governo devido à realização da Olimpíada e da Paralimpíada em agosto. Havia também a intenção de avançar na pauta que tornam mais técnicas indicações para fundos de pensão de empresas estatais.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247