Março será decicado às mulheres

Comemoraes do Dia da Mulher, 8 de maro, sero extendidas para todo o perodo; multiro de reconstruo mamria e repactuao do pacto nacional de enfrentamento violncia contra as mulheres esto entre as atividades previstas

Agência Brasília - O Governo do Distrito Federal promoverá uma série de ações para valorizar e dar protagonismo às mulheres brasilienses em 2012. As atividades foram decididas em reunião do Comitê Intersetorial de Mulheres realizada nesta sexta-feira (24). Presidido pela primeira-dama do DF, Ilza Queiroz, o comitê é composto por secretárias de Estado, primeiras-damas das administrações regionais e representantes de órgãos do GDF.

Uma das metas do Comitê para este ano é contribuir para erradicar o analfabetismo no Distrito Federal. “Temos 65 mil analfabetos, entre mulheres e homens. Em 2012, o objetivo é alfabetizar entre 10 e 15 mil pessoas”, destacou Ilza Queiroz. A alfabetização se dará dentro do programa DF Alfabetizado, que terá início no dia 7 de março.

Outras séries de ações também estão previstas para março. O Dia da Mulher, comemorado no próximo dia 8, será estendido para todo o mês. “Março será o mês da mulher”, adiantou a primeira-dama. Entre as atividades marcadas para o período estão a repactuação de pacto nacional de enfrentamento à violência contra as mulheres, a promoção de ações culturais e a articulação com diversos setores da sociedade para o desenvolvimento de políticas públicas para as mulheres.

“As atividades desenvolvidas ao longo do mês serão um espaço importante de construção de políticas voltadas às mulheres. Daremos voz às demandas delas em todas as regiões do DF”, enfatizou a secretária de Políticas para as Mulheres do Distrito Federal, Olgamir Amancia.

Também está previsto um mutirão de reconstrução mamária, no início de março, para mulheres que tiveram câncer. O GDF identificou 90 mulheres nessa situação que irão passar pelo procedimento preparatório. “Precisamos garantir saúde e qualidade de vida a essas mulheres”, afirmou Olgamir.

Rede Mulher

Outro programa que estará em vigor a partir de março será o Rede Mulher. A ação prevê a elaboração de políticas públicas intersetoriais e integradas entre os diversos órgãos do GDF, poderes Legislativo e Judiciário e entidades da sociedade civil.

Entre as ações do Rede Mulher estão palestras sobre a Lei Maria da Penha, oficinas de prevenção à violência contra a mulher e construção de um centro de documentação e memória voltado à história das mulheres do Distrito Federal.

“Desse modo vamos alcançar resultados objetivos que irão melhorar a qualidade de vida das mulheres. É preciso garantir às brasilienses proteção à saúde e à integridade física e moral”, defendeu a secretária de Comunicação Social do DF, Samanta Sallum.

Qualificopa

O GDF também vai desenvolver programas de incentivo à entrada de mulheres na construção civil e no Qualificopa e em cursos profissionalizantes do Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac) e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai).

Ainda foi anunciado na reunião desta sexta-feira que, a partir de 7 de março, as mulheres do DF terão uma opção mais fácil para denunciar casos de violência e receber orientações pelo telefone. Em vez do número 3322-2266, as mulheres poderão ligar para o 156, opção 6. Postos policiais instalados em hospitais do DF também estarão autorizados a fazer ocorrências em casos de violência contra a mulher a partir do mês que vem.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247