Marqueteiro trumpista chega a Brasília e antecipa campanha de 2022

Ryan Hartwig se tornou conhecido entre os conservadores por meio do projeto Veritas, que tem por objetivo desacreditar a imprensa e gigantes da área de tecnologia por meio da exibição de conversas informais com jornalistas e executivos que são editadas seletivamente

Ryan Hartwig
Ryan Hartwig (Foto: Reprodução/Twitter)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O norte-americano Ryan Hartwig está realizando uma série de reuniões no Brasil com grupos conservadores e apoiadores de Jair Bolsonaro, segundo o jornal Estado de S. Paulo. Ele inclusive já marcou presença em um ato político no último sete de setembro e concedeu entrevista ao canal pró-governo Terça Livre.

Hartwig ficou conhecido entre os conservadores por meio do projeto Veritas, que tem por objetivo desacreditar jornalistas, empresas de comunicação e gigantes da área de tecnologia por meio da criação de situações para realizar filmagens e editá-las de forma seletiva, exibindo, portanto, conversas pessoais de jornalistas e executivos sobre política e suas empresas.

Ryan Hartwig se reuniu em Brasília com a deputada federal Bia Kicis (PSL-DF). “Estamos conversando sobre as mentiras, as fake news produzidas pela esquerda, e que têm completo amparo de redes como o Facebook. E aquelas verdades que a gente fala são tratadas como fake news. Ele tem a gravação de pessoas, funcionários, empregados do Facebook confessando que perseguem mesmo conservadores, que a ordem é retirar posts de conservadores e deixar os progressistas”, disse a parlamentar em vídeo no Instagram.

Um perfil no Twitter atribuído a Allan dos Santos, blogueiro do canal Terça Livre, publicou: “agora a CIA (agência de inteligência dos EUA) chegou, porra! Ninguém nos detém”. Hartwig então respondeu: “não, não sou da CIA. Só um cidadão norte-americano preocupado tentando ajudar o Brasil a manter a liberdade de expressão”.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247