Moraes envia notícia-crime contra Bolsonaro, Flávio e Eduardo para a PGR

O ministro do STF Alexandre de Moraes determinou que a PGR, comandada por Augusto Aras, se manifeste sobre uma notícia-crime apresentada contra Jair Bolsonaro e dois de seus filhos - Flávio Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro - no âmbito das investigações do Facebook que resultaram na remoção de contas operadas por membros ligados ao clã presidencial

Alexandre de Moraes, Flávio, Jair  e Eduardo Bolsonaro
Alexandre de Moraes, Flávio, Jair e Eduardo Bolsonaro (Foto: Carlos Moura/SCO/STF | Roberto Jayme/Ascom/TSE)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes determinou que a Procuradoria-Geral da República se manifeste sobre uma notícia-crime apresentada contra Jair Bolsonaro e dois de seus filhos -  senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ) e o deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-RJ) - no âmbito das investigações do Facebook que resultaram na remoção de contas ligados ao PSL e a gabinetes do clã presidencial nas redes sociais da empresa. A procuradoria analisará se existem elementos contra eles que justifiquem o pedido de abertura de uma apuração no STF sobre os fatos. Bolsonaro e seus filhos não são formalmente investigados. 

O Facebook tirou do ar 35 contas, 14 páginas e 1 grupo no Facebook, além de 38 contas no Instagram. De acordo com a rede social, as contas derrubadas agiam desde as eleições de 2018 para enganar o público. O esquema alcançava uma audiência de 2 milhões de pessoas, informou a empresa Digital Forensic Research Lab (DRFLab), especializada no combate à desinformação.

Entre as páginas investigadas pelo Facebook está o perfil "Bolsonaro News". O e-mail usado para registrar o perfil era de Tercio Tomaz, que foi assessor de Carlos Bolsonaro na Câmara de Vereadores do Rio de Janeiro. Atualmente, é assessor especial de Jair Bolsonaro, com gabinete no Palácio do Planalto, salário de quase R$ 14 mil por mês e apartamento funcional.

No primeiro semestre, a Polícia Federal identificou Carlos Bolsonaro como um dos articuladores da esquema criminoso de disseminação de fake news e ataques a autoridades.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247