MP junto ao TCU tenta proibir mudanças na política de preços da Petrobrás que empobrece o Brasil e os brasileiros

Representação do subprocurador Lucas Furtado tenta manter a política implantada após o golpe de estado de 2016

www.brasil247.com -
(Foto: Reprodução)


247 – A atual política de preços da Petrobrás, implantada após o golpe de estado de 2016, que teve como objetivo central transferir a renda do petróleo nacional da sociedade brasileira para os acionistas privados da estatal, ganhou um reforço de onde menos se esperava: do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União. "O subprocurador-geral do Ministério Público Federal junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Rocha Furtado, pediu que o TCU apure uma possível interferência indevida do presidente Jair Bolsonaro na Petrobras", aponta reportagem do G1.

"A representação pede que o Tribunal garanta a 'independência da empresa em face de potenciais atos irregulares' que estariam sendo cometidos pelo governo", prossegue a reportagem. "A União, na qualidade de acionista controlador da Petrobras, por intermédio do presidente da República e da equipe do Ministério da Economia, pretende interferir em decisão corporativa da empresa estatal, no intuito de alterar indevidamente sua política de preços dos produtos atinentes à sua atividade fim (derivados de petróleo), o que, a meu ver, fere a Lei das Estatais (Lei 13.303/2016) e a Lei 6.404/1976, ensejando a pronta atuação do Tribunal de Contas da União, por ser matéria afeta à sua jurisdição", diz Furtado.

Pouco depois da posse de Michel Temer, após o golpe de estado de 2016, a Petrobrás, que é praticamente monopolista, passou a dolarizar seus preços, causando recessão, desemprego, fome e inflação no Brasil. A despeito disso, a sua política de preços passou a ser defendida pelo subprocurador.

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Assine o 247, apoie por Pix, inscreva-se na TV 247, no canal Cortes 247 e assista:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email