MPT investiga situação de prédio do IBGE

O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu investigação, em 1º de fevereiro, para avaliar as condições de trabalho de funcionários de um prédio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), localizado na quadra 509 Sul, em Brasília; teto do banheiro masculino do 1º andar caiu na manha de terça-feira (6); o do feminino tem infiltrações e também há risco de desabamento; outras salas do prédio apresentam deformações e rachaduras; denúncia foi feita ao MPT pelos servidores

O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu investigação, em 1º de fevereiro, para avaliar as condições de trabalho de funcionários de um prédio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), localizado na quadra 509 Sul, em Brasília; teto do banheiro masculino do 1º andar caiu na manha de terça-feira (6); o do feminino tem infiltrações e também há risco de desabamento; outras salas do prédio apresentam deformações e rachaduras; denúncia foi feita ao MPT pelos servidores
O Ministério Público do Trabalho (MPT) abriu investigação, em 1º de fevereiro, para avaliar as condições de trabalho de funcionários de um prédio do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), localizado na quadra 509 Sul, em Brasília; teto do banheiro masculino do 1º andar caiu na manha de terça-feira (6); o do feminino tem infiltrações e também há risco de desabamento; outras salas do prédio apresentam deformações e rachaduras; denúncia foi feita ao MPT pelos servidores (Foto: Voney Malta)

Brasília 247 – A partir de uma denúncia de servidores que trabalham em um dos prédios do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em Brasília, é que o Ministério Público do Trabalho abriu investigação, em 1º de fevereiro, para avaliar as condições de trabalho.

As condições do prédio são consideradas precárias para o desenvolvimento do trabalho dos funcionários. Os problemas estão no edifício onde funciona a Supervisão de Documentação e Disseminação de Informações, na quadra 509 Sul.

O teto do banheiro masculino do 1º andar caiu na manha de terça-feira (6) e ainda não foi consertado. O do feminino tem infiltrações e também há risco de desabamento.

Outras salas do prédio apresentam deformações e rachaduras. Em dias de racionamento de água na Asa Sul, a repartição fica sem água porque tem uma caixa d’água com capacidade para apenas mil litros.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247