Mulheres pedem manutenção da Secretaria da Mulher

Organizações feministas e de mulheres elaboraram uma carta com reivindicações que deve ser entregue ainda nesta semana ao governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB); entre as principais demandas, está a manutenção, com status de secretaria, da pasta de Mulheres criada no governo de Agnelo Queiroz (PT); a categoria teme pelo destino da secretaria diante dos planos de Rollemberg de enxugamento da máquina pública a partir da extinção ou reestruturação de órgãos e cargos comissionados

Organizações feministas e de mulheres elaboraram uma carta com reivindicações que deve ser entregue ainda nesta semana ao governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB); entre as principais demandas, está a manutenção, com status de secretaria, da pasta de Mulheres criada no governo de Agnelo Queiroz (PT); a categoria teme pelo destino da secretaria diante dos planos de Rollemberg de enxugamento da máquina pública a partir da extinção ou reestruturação de órgãos e cargos comissionados
Organizações feministas e de mulheres elaboraram uma carta com reivindicações que deve ser entregue ainda nesta semana ao governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB); entre as principais demandas, está a manutenção, com status de secretaria, da pasta de Mulheres criada no governo de Agnelo Queiroz (PT); a categoria teme pelo destino da secretaria diante dos planos de Rollemberg de enxugamento da máquina pública a partir da extinção ou reestruturação de órgãos e cargos comissionados (Foto: Leonardo Araújo)

Brasília 247 - Como informa o Poder Online, do IG, diversas organizações feministas e de mulheres elaboraram uma carta com reivindicações que deve ser entregue ainda nesta semana ao governador eleito do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB). Entre as principais demandas, está a manutenção, com status de secretaria, da pasta de Mulheres criada no governo de Agnelo Queiroz (PT).

A categoria está preocupada com o destino da secretaria diante dos planos de Rollemberg de enxugamento da máquina pública a partir da extinção ou reestruturação de órgãos e cargos comissionados, uma das promessas de campanha. Existe o receio, por exemplo, de que a Secretaria de Estado da Mulher seja reduzida ao patamar de subsecretaria especializada.

Na carta, o Fórum de Mulheres do Distrito Federal e Entorno (FMDF) também pede a paridade entre homens e mulheres nas escolhas de Rollemberg para compor seu secretariado. Além disso, o grupo cobra um compromisso com as orientações apresentadas pela CPMI da Violência contra a Mulher e com a conclusão das mais de 100 creches prometidas por Agnelo.

Quanto ao secretariado, o socialista tem dado declarações de que pretende forma um time de "projeção nacional", que dê peso político ao DF. No entanto, quanto às mudanças das estruturas organizacionais do GDF, o governador eleito poderá ter mais trabalho. Isto porque está prestes a entrar em vigor o projeto de lei aprovado pela Câmara Legislativa que devolve à Casa prerrogativa de aprovar a criação de extinção de órgãos e cargos no governo.

O prazo para o atual governador se manifestar sobre a lei acabou na última sexta-feira (21), e Agnelo não se posicionou. O texto pode ser promulgado pelos próprios deputados até a próxima sexta-feira (28) e, se isso ocorrer, passará a valer em seguida.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247