Nunes Marques falou longamente contra uso de conversas hackeadas como provas, mas elas não estão no HC de Lula

Ministro que votou contra a suspeição de Sergio Moro nesta tarde apontou que não poderiam ser usadas no julgamento “provas obtidas por meios ilícitos” e ainda “fruto de crime”. Defesa de Lula, no entanto, sequer apontou as conversas como provas de parcialidade do ex-juiz

www.brasil247.com - Sabatina de indicado para exercer o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). 21 de outubro de 2020
Sabatina de indicado para exercer o cargo de ministro do Supremo Tribunal Federal (STF). 21 de outubro de 2020 (Foto: Marcos Oliveira/Agência Senado)


247 - O ministro Kassio Nunes Marques, do Supremo Tribunal Federal, se manifestou longamente, no meio de seu voto contra a suspeição de Sergio Moro, contra o uso das conversas hackeadas de procuradores da Lava Jato por Walter Delgatti.

Indicado por Jair Bolsonaro, o ministro citou mais de uma vez a importância do “garantismo” do magistrado para defender que “provas obtidas por meios ilícitos” e ainda “fruto de crime” não podem ser usadas juridicamente. 

No entanto, a defesa do ex-presidente Lula, ao apresentar o habeas corpus que apontava a parcialidade de Moro nos processos contra o petista, sequer apontou as conversas como provas para a necessidade de se declarar a suspeição, mas sim diversas outras comprovações - como o aspecto regional, uma vez que o caso Petrobrás não poderia ser julgado na 13ª Vara Federal do Paraná, e o grampo ilegal do escritório de defesa de Lula pela Lava Jato. 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Confira algumas repercussões sobre esse aspecto do voto no Twitter:

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

 

 

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Apoie o 247

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE

Cortes 247

CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE
WhatsApp Facebook Twitter Email