O brasileiro ainda não descobriu o prazer de ler

Talvez a descoberta mais chocante da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, divulgada há duas semanas, seja o fato de que 76% dos entrevistados nunca pisaram numa biblioteca

Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O Instituto Pró-Livro divulgou há duas semanas a pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, feita em 2011. O objetivo foi levantar o perfil do leitor e do não leitor brasileiro, as preferências e as barreiras à penetração da leitura no país. É um retrato bastante completo dos hábitos de leitura dos brasileiros. A surpresa foi que andamos para trás.

Nada inesperado, para um país em que a televisão tem a preferência de 85% dos entrevistados, ao responderem “o que gostam de fazer em seu tempo livre”. Se alguém esperava que a maioria dos respondentes fosse optar por descansar (51%), sair com amigos (34%) ou praticar esportes (23%), errou. O hábito de ler agrada apenas a 28% da amostra.

Talvez a descoberta mais chocante da pesquisa seja o fato de que 76% dos entrevistados, numa amostra de 5.012 pessoas, em 315 municípios, nunca pisaram numa biblioteca, embora 71% tenham afirmado que existe esse tipo de ambiente e o acesso é fácil. Para eles, a biblioteca é um lugar para “estudar”. Somente 8% dos brasileiros vão à biblioteca regularmente. 17% vão de vez em quando. Ou seja, quase nunca. Só 16% sabem que a biblioteca existe "para emprestar livros”.

Não foi coincidência, mas para comemorar o Dia Mundial do Livro, o Ministério da Cultura anunciou investimentos de R$ 374 milhões no Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) para 2012. Dentro do plano, o programa Democratização de Acesso, de construção e modernização de bibliotecas, deve receber a maior fatia de investimentos, R$ 254,6 milhões. Só para ampliação e atualização de acervos de bibliotecas serão investidos R$ 37 milhões.

"Gostamos sempre de sair um pouco de nós mesmos, de viajar, quando lemos". (Marcel Proust)

Mas por que o brasileiro não frequenta as cerca de 1.000 bibliotecas existenes no país? A maioria alega falta de tempo como o principal empecilho a frequentar uma biblioteca. 12% acreditam que é um lugar para “lazer”. A pesquisa ainda mostrou que a maior parte dos brasileiros que vai à biblioteca está na vida escolar (64%), utilizando os espaços nas escolas ou universidades.

Interessante não aparecer na pesquisa a alegação de não frequentar, porque não existe biblioteca, até porque, entre países do mesmo nível de desenvolvimento, o Brasil seja um dos que possui o menor índice de bibliotecas e livrarias por habitante.

Para a presidente do IPL, Karine Pansa, os dados colhidos pelo Ibope Inteligência mostram que o desafio, em geral, não é mais possibilitar o acesso ao equipamento, mas fazer com que as pessoas o utilizem. "O maior desafio é transformar as bibliotecas em locais agradáveis, onde as pessoas gostem de estar, com prazer. Não só para estudar." Ninguém vai atrás de um produto, no caso o livro, para o qual não foi estimulado pelos pais, professores, amigos.

Quando a pesquisa pergunta aos entrevistados que já cultivam o hábito de ler, quem foram seus “influenciadores”, o professor desponta primeiro com 45% das indicações, seguido da mãe, com 43%. Ou seja, o hábito da leitura começa em casa e se consolida na escola. Filhos de pais leitores têm muito mais probabilidade de também serem leitores na idade adulta.

"Onde se queimam livros cedo ou tarde se queimam homens". (Heinrich Heine)

As mulheres lêem mais do que os homens e, assim como o número de leitores caiu de 55 milhões em 2007, para 50 milhões na pesquisa 2011, a média de livros lidos pelos chamados “leitores” caiu também de 4,7 em 2007 para 4,0 em 2011. Isso poderia indicar que a internet e outras atividades audiovisuais estão seduzindo mais a juventude do que a leitura. A média dos livros lidos também caiu, de 2,07 em 2007, para 1,85 livro por ano, em 2011. Uma média baixíssima para os padrões internacionais. Esse é um fenômeno que ocorre em todas as regiões do país.

A pesquisa do Instituto Pró-Livro deveria ser apresentada e discutida em reuniões em todos os estabelecimentos de ensino do Brasil. Tanto superiores quanto de nível médio e fundamental. Se professores e alunos tomassem conhecimento dos detalhes, poderiam sugerir ideias para estimular a leitura no ambiente escolar e em casa. Descobririam onde estão as falhas.

Mais do que recursos, que são extremamente importantes, talvez esteja faltando no Brasil uma cultura da leitura. E vemos muito pouca colaboração dos meios de comunicação audiovisuais, principalmente a televisão. Os jornais, que foram tão importantes no passado para estimular a leitura, com suplementos literários emblemáticos, hoje preferem suplementos de gastronomia, de tecnologia, de esportes, de turismo. E os literários ficaram na história.

"Sempre imaginei que o Paraíso será uma espécie de biblioteca". (Jorge Luis Borges)

Por que o brasileiro não gosta de ler? Ou por que universitários, até em cursos de pós-graduação querem que os professores forneçam os links da internet de todos os textos para leitura, em vez de irem atrás das publicações? Preferem tirar cópias de capítulos de livros, atividade ilegal, do que comprá-los ou utilizar exemplares disponíveis nas bibliotecas.

Talvez porque pais e professores estejam falhando, desde os primeiros momentos em que a criança começa a descobrir o mundo das letras. Se os professores e os pais não leem, nem se preocupam em facilitar o acesso das crianças aos livros, como irão estimulá-las para um hábito que está sendo atropelado pelos apelos e seduções tecnológicas do computador e dos smartphones?

Quem tiver interesse em ler ou discutir a pesquisa do Instituto Pró-Livro, o relatório completo está disponível aqui.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email