Parlamentar propõe consórcio para se defender no STF

O ex-líder do PP na Câmara Federal, deputado Nelson Meurer (PR), disse eu poderá buscar formar uma espécie de consórcio juntamente com outros colegas para reduzir os custos advocatícios caso o Supremo Tribunal Federal decida investiga-lo no âmbito da Operação Lava Jato; "Se o ministro Teori Zavascki autorizar abertura de inquérito, vou ser obrigado a ter advogado. Cada um vai defender a sua situação. O que pode haver, e não aconteceu, porque você nem sabe quem vai ficar nessa abertura de inquérito, é talvez procurar um advogado só para tentar baixar o custo dos advogados", disse

O ex-líder do PP na Câmara Federal, deputado Nelson Meurer (PR), disse eu poderá buscar formar uma espécie de consórcio juntamente com outros colegas para reduzir os custos advocatícios caso o Supremo Tribunal Federal decida investiga-lo no âmbito da Operação Lava Jato; "Se o ministro Teori Zavascki autorizar abertura de inquérito, vou ser obrigado a ter advogado. Cada um vai defender a sua situação. O que pode haver, e não aconteceu, porque você nem sabe quem vai ficar nessa abertura de inquérito, é talvez procurar um advogado só para tentar baixar o custo dos advogados", disse
O ex-líder do PP na Câmara Federal, deputado Nelson Meurer (PR), disse eu poderá buscar formar uma espécie de consórcio juntamente com outros colegas para reduzir os custos advocatícios caso o Supremo Tribunal Federal decida investiga-lo no âmbito da Operação Lava Jato; "Se o ministro Teori Zavascki autorizar abertura de inquérito, vou ser obrigado a ter advogado. Cada um vai defender a sua situação. O que pode haver, e não aconteceu, porque você nem sabe quem vai ficar nessa abertura de inquérito, é talvez procurar um advogado só para tentar baixar o custo dos advogados", disse (Foto: Paulo Emílio)

Brasília 247 - O ex-líder do PP na Câmara Federal, deputado Nelson Meurer (PR), disse eu poderá buscar formar uma espécie de consórcio juntamente com outros colegas para reduzir os custos advocatícios caso o Supremo Tribunal Federal decida investiga-lo no âmbito da Operação Lava Jato.

"Se o ministro Teori Zavascki autorizar abertura de inquérito, vou ser obrigado a ter advogado. Cada um vai defender a sua situação. O que pode haver, e não aconteceu, porque você nem sabe quem vai ficar nessa abertura de inquérito, é talvez procurar um advogado só para tentar baixar o custo dos advogados", disse Meurer.

A declaração do parlamentar foi realizada após ele ser questionado se o PP poderia oferecer uma defesa centralizada para os filiados que porventura forem investigados pelo STF. Segundo informações veiculadas pela imprensa, pelo menos dez políticos filiados ao PP teriam sido citados no depoimento de delação premiada feito pelo ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa.

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247