PCDF cumpre mandados na Terracap em operação contra grilagem

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou a Operação Sacerdote para cumprir mandados de prisão, condução coercitiva e de busca em apreensão contra a grilagem de terras na região do Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul; a sede da Agência de Desenvolvimento (Terracap) é um dos endereços alvos das investigações; estão sendo cumpridos sete mandados de prisão temporária, cinco de condução coercitiva (em que a pessoa é levada a depor) e 15 de busca e apreensão

A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou a Operação Sacerdote para cumprir mandados de prisão, condução coercitiva e de busca em apreensão contra a grilagem de terras na região do Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul; a sede da Agência de Desenvolvimento (Terracap) é um dos endereços alvos das investigações; estão sendo cumpridos sete mandados de prisão temporária, cinco de condução coercitiva (em que a pessoa é levada a depor) e 15 de busca e apreensão
A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou a Operação Sacerdote para cumprir mandados de prisão, condução coercitiva e de busca em apreensão contra a grilagem de terras na região do Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul; a sede da Agência de Desenvolvimento (Terracap) é um dos endereços alvos das investigações; estão sendo cumpridos sete mandados de prisão temporária, cinco de condução coercitiva (em que a pessoa é levada a depor) e 15 de busca e apreensão (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - A Polícia Civil do Distrito Federal deflagrou a Operação Sacerdote para cumprir, nesta sexta-feira (22), mandados de prisão, condução coercitiva e de busca em apreensão contra a grilagem de terras na região do Setor de Mansões Dom Bosco, no Lago Sul. A sede da Agência de Desenvolvimento (Terracap) é um dos endereços alvos das investigações. Estão sendo cumpridos sete mandados de prisão temporária, cinco de condução coercitiva (em que a pessoa é levada a depor) e 15 de busca e apreensão.

Entre os alvos, estão um servidor público aposentado do Tribunal de Contas do Distrito Federal (TCDF) — que estava lotado na Terracap — e um ex-servidor público da Administração Regional do Riacho Fundo I.

A delegada-chefe da Dema, Marilisa Gomes, informou que o grupo investigado teria praticado crimes de corrupção ativa, associação criminosa, falsidade ideológica, tráfico de influência e advocacia administrativa. “ Os acusados teriam feito promessas de vantagens ilícitas a funcionários públicos para a aquisição e posse de terrenos públicos, pertencentes ao Governo do DF, e localizados em área nobre e de proteção ambiental permanente”, disse. O relato é do site Metrópoles.

Os policiais apreenderam vários documentos e valores em endereços que ficam no Águas Claras, Plano Piloto, Lago Sul e Norte, Vicente Pires, Cruzeiro, Park Way e Taguatinga. “As investigações ainda continuam visando apurar as suspeitas de participação de outros envolvidos no esquema criminoso”, destaca a delegada.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247