PGR rescinde acordo de delação de Wesley Batista

A procuradora geral da República, Raquel Dodge, informou nesta segunda-feira (26) ao ministro Luiz Edson Fachin comunicação de rescisão dos acordos de delação premiada do empresário Wesley Batista, um dos donos da J&F, e de Francisco de Assis e Silva, ex-executivo do grupo; segundo a PGR, Wesley Batista e Francisco de Assis descumpriram termos do acordo de colaboração e "omitiram, de forma intencional, fatos criminosos dos quais eles já tinham conhecimento" quando fecharam o acordo com o MPF; o irmão de Wesley, Joesley Batista, e Ricardo Saud, executivo do grupo J&F, estão em situação semelhante e já haviam tido os acordos rescindidos

Brasília - A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS realiza audiência pública para ouvir o empresário Wesley Batista, um dos donos da JBS (Marcelo Camargo/Agência Brasil)
Brasília - A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito da JBS realiza audiência pública para ouvir o empresário Wesley Batista, um dos donos da JBS (Marcelo Camargo/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)

Brasília 247 - A procuradora geral da República, Raquel Dodge, encaminhou nesta segunda-feira (26) pedido ao ministro Luiz Edson Fachin, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, comunicação de rescisão dos acordos de delação premiada do empresário Wesley Batista, um dos donos da J&F, e de Francisco de Assis e Silva, ex-executivo do grupo.

Segundo a PGR, Wesley Batista e Francisco de Assis descumpriram termos do acordo de colaboração e "omitiram, de forma intencional, fatos criminosos dos quais eles já tinham conhecimento" quando fecharam o acordo com o MPF.

O irmão de Wesley, Joesley Batista, e Ricardo Saud, executivo do grupo J&F, estão em situação semelhante e já haviam tido os acordos rescindidos. 

A rescisão definitiva ainda depende de decisão do ministro Edson Fachin.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247