Planalto estimula Maia a postergar anúncio de candidatura

Enquanto o PSDB e adversários pressionam Rodrigo Maia (DEM-RJ) a assumir oficialmente sua candidatura à reeleição na presidência da Câmara, o Planalto prefere que ele deixe o anúncio para o fim de janeiro; entendimento é que a iniciativa não pesaria na atração de apoios partidários e o colocaria em evidência de forma desnecessária, aumentando a munição dos rivais contra ele; oficialmente, Temer tem afirmado que não se envolverá no processo de escolha, mas, nos bastidores, tem articulado a desistência de candidatos adversários e o apoio de siglas à reeleição; até agora, conseguiu convencer o PSDB e o PMDB a apoiarem Maia e iniciou ofensiva sobre o PP e o PTB

rodrigo maia
rodrigo maia (Foto: Giuliana Miranda)

247 - Enquanto o PSDB e adversários pressionam Rodrigo Maia (DEM-RJ) a assumir oficialmente sua candidatura à reeleição na presidência da Câmara, o Planalto prefere que ele deixe o anúncio para o fim de janeiro. Governistas entendem que a iniciativa não pesaria na atração de apoios partidários e o colocaria em evidência de forma desnecessária, aumentando a munição dos rivais contra ele. Oficialmente, Temer tem afirmado que não se envolverá no processo de escolha, mas, nos bastidores, tem articulado a desistência de candidatos adversários e o apoio de siglas à reeleição. Até agora, por exemplo, conseguiu convencer o PSDB e o PMDB a apoiarem Maia e iniciou ofensiva sobre o PP e o PTB.

As informações são da Folha de S.Paulo.

"Nas palavras de um aliado presidencial, a candidatura de Maia já tem sido divulgada à exaustão pelos veículos de comunicação, não havendo necessidade, portanto, de um lançamento oficial. No final desta semana, Maia vai ao Recife e a Natal conversar com possíveis apoios.

Para um auxiliar do presidente, ao "rasgar a fantasia antes da hora", Maia corre o risco de judicializar ainda mais a disputa parlamentar e aumentar a indisposição com o chamado centrão, formado por partidos como PSD, PTB, PP e PR.

Há um temor de que, se Maia admitir que é candidato, seja criado um fato concreto para que seus rivais cobrem do Supremo Tribunal Federal um posicionamento sobre o caso antes de fevereiro.

A Constituição Federal e o regimento da Câmara dos Deputados vedam que o presidente dispute a reeleição em uma mesma legislatura. Maia entende que, como foi eleito para um mandato tampão após a cassação de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a regra não se aplica a ele."

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247