Polícia apura conteúdo de áudios sobre o GDF

Polícia Civil investiga o vazamento de áudios de uma reunião entre o governador Rodrigo Rollemberg, secretários e parlamentares no dia 14 de maio; é que informa o governo do Distrito Federal; na gravação, deputados distritais cobravam do governador cargos na administração; em nota, o GDF diz condenar "veementemente o vazamento” e informou que os áudios foram editados e tirados de contexto  

Polícia Civil investiga o vazamento de áudios de uma reunião entre o governador Rodrigo Rollemberg, secretários e parlamentares no dia 14 de maio; é que informa o governo do Distrito Federal; na gravação, deputados distritais cobravam do governador cargos na administração; em nota, o GDF diz condenar "veementemente o vazamento” e informou que os áudios foram editados e tirados de contexto
 
Polícia Civil investiga o vazamento de áudios de uma reunião entre o governador Rodrigo Rollemberg, secretários e parlamentares no dia 14 de maio; é que informa o governo do Distrito Federal; na gravação, deputados distritais cobravam do governador cargos na administração; em nota, o GDF diz condenar "veementemente o vazamento” e informou que os áudios foram editados e tirados de contexto   (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 – A Polícia Civil investiga o vazamento de áudios de uma reunião entre o governador Rodrigo Rollemberg, secretários e parlamentares no dia 14 de maio. É que informa o governo do Distrito Federal. Na gravação, deputados distritais cobravam do governador cargos na administração.

Em nota, o GDF diz condenar "veementemente o vazamento" e informou que teve acesso aos áudios por meio da imprensa. De acordo com o Executivo, eles foram editados e tirados de contexto. O governo afirmou que a reunião foi "pautada por um debate de medidas" que visavam "dar governabilidade" à atual gestão.

A Polícia Civil informou ao G1 que tomará "todas as providências" referentes ao caso. A presidente da Câmara Legislativa do DF, Celina Leão (PDT), afirmou que 11 distritais – ela inclusive – e pelo menos dois secretários estavam com Rollemberg na reunião grampeada.

"Nós já pedimos abertura de investigação ao Ministério Público, à Polícia Civil e à Polícia Federal, para acompanhar. Se você parar pra pensar, é um caso muito grave, dentro de um gabinete, da sala do governador", disse ela à Tv Globo.

O secretário de Relações Institucionais do DF, Marcos Dantas, disse ao G1 o grampo é "lamentável". "Não é nossa prática ficar 'arapongando', gravando as pessoas. Eu estava nessa reunião na sala do governador. O que foi colocado foi um pedido para indicar deputados para o Executivo, o que não vejo nenhum problema", acrescentou.

No trecho atribuído a Celina Leão, a deputada comenta sobre a ausência de parlamentares no primeiro escalão do governo. O nome e a voz do interlocutor não aparecem no áudio, mas a parlamentar se refere a ele pelo termo "senhor".

"A classe política, querendo ou não, precisa estar presente no governo do senhor. O senhor não tem um secretário deputado. Um secretário deputado. 'Tô' falando que pode ser deputado federal, pode ser deputado local. Querendo ou não, a classe política 'tá' fora do governo", disse Celina no áudio.

"Eu falei uma coisa para o senhor e volto a repetir: o senhor é bom demais. Coração bom demais. 'Não, vai lá, eu vou deixar você fazer o trabalho político do jeito que você quiser, eu te dou liberdade.' [...] Se a gente não tiver uma pauta com o senhor, a Câmara vai arrumar a pauta dela", continuou a parlamentar.

O segundo áudio, supostamente da mesma reunião, é atribuído ao deputado Juarezão (PRTB); Conforme a gravação, voz gravada disse que "o bolo tinha que ser dividido por igual" entre os distritais.

O parlamentar não confirmou a autoria das declarações. "Não me lembro. Tenho que ver o áudio para saber se fui eu", afirmou. A voz captada na gravação fala sobre melhorias em Brazlândia, reduto eleitoral do político.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247