Polícia Civil prende 39 sequestradores em dois meses

Criminosos atuavam no Distrito Federal e no entorno; nos primeiros dois meses do ano, 71 casos foram registrados

Brasília247 – O crescente número de casos envolvendo sequestros relâmpagos e roubos com restrição de liberdade no Distrito Federal fez a Polícia Civil intensificar ações de segurança. Só nos dois primeiros meses de 2012, 39 pessoas que praticam essa modalidade de crime foram presas. Do total, 25 são do DF e 14 do entorno.

De acordo com o secretário de Segurança Pública, Sandro Avelar, a polícia aumentou o policiamento ostensivo e está agindo com mais rigor em casos que envolvem restrição de liberdade. “Houve um incremento no número de casos dessa modalidade, que precisamos reduzir”, afirma Avelar. Em entrevista à radio BandNwes, na manhã desta sexta-feira (2), ele pediu que a população tenha paciência e entenda que as providências de segurança estão sendo tomadas.

Durante a entrevista, Avelar informou que uma das dificuldades em se conter as ações criminosas se dá pelo fato de as ocorrências não se limitarem ao Distrito Federal. “Nós temos uma população de aproximadamente 2,5 milhões, mas se somarmos as pessoas do entorno o número sobe para 4 milhões”, lembra.

Ainda de acordo com o secretário de Segurança Pública, a maior parte dos bandidos tem como objetivo roubar veículos, não manter as vítimas em cárcere privado temporário. “Elas acabam ficando sob a responsabilidade dos criminosos no momento da atuação”, justifica.

Avelar esclarece também que apesar do aumento no número de crimes dessa natureza, a maior parte dos casos relatados pela mídia não diz respeito a sequestro relâmpago. “Existe, sim, uma preocupação da nossa parte, mas é importante deixar claro que não há um descontrole desse modalidade de atuação”, enfatiza o secretário.

Para inibir a atuação dos bandidos, as polícias Militar e Civil atuam simultaneamente. Enquanto a PM realiza rondas ostensivas, a Civil investe em investigações e prisões dos responsáveis. “Estamos muito atentos às movimentações a partir de um sistema integrado, no qual as informações de uma corporação auxiliam no trabalho da outra”, diz Avelar.

Nas divisas do DF, fiscalização nas barreiras de segurança foi intensificada para evitar a migração de criminosos que aproveitam o fluxo diário de trabalhadores que freqüentam a região para praticarem delitos.

Perigo

O número de sequestros relâmpagos no Distrito Federal cresceu 30% nos dois primeiros meses de 2012 em relação ao mesmo período do ano passado. Em janeiro e fevereiro, 71 ocorrências foram registradas. Entre terça-feira (28) e quarta-feira (29), cinco casos chegaram à polícia.

Há dois dias, a Polícia Civil prendeu uma quadrilha de cinco homens e dois adolescentes especializados nesse tipo de crime. Eles são autores de pelo menos 9 roubos com restrição de liberdade, dois quais sete foram no último mês. As investigações começaram depois que uma estudante de direito de 32 anos foi abordada e estuprada pelo grupo de criminosos.

Atualmente a secretaria de Segurança Pública trabalha em uma cartilha que será distribuída nas ruas do DF para orientar a população a tomar determinadas cautelas. Entre as medidas preventivas está não estacionar o carro em lugares ermos e escuros. “Não podemos tapar os olhos para a realidade, precisamos que a comunidade fique atenta a esse tipo de crime”, conclui Avelar.

 

Conheça a TV 247

Mais de Brasília

Ao vivo na TV 247 Youtube 247