Polícia de Cunha usa gás de pimenta contra estudantes

A polícia legislativa usou nesta terça (30) gás de pimenta na tentativa de dispersar manifestantes que queriam entrar na Câmara; segundo os seguranças, os estudantes estavam forçando a entrada com paus e pedras; os estudantes negam que tenham usado violência e dizem que apenas queriam entrar para acompanhar a votação da redução da maioridade penal, que ocorrerá ainda nesta terça; o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que estava conversando com o grupo de estudantes, foi atingido e reclamou da postura do que chamou de "homens do Cunha"; "Isso é uma loucura. Isso é culpa de Eduardo Cunha, porque ele não deveria radicalizar desta maneira", afirmou; Cunha disse que só entrará no plenário quem tem senha

A polícia legislativa usou nesta terça (30) gás de pimenta na tentativa de dispersar manifestantes que queriam entrar na Câmara; segundo os seguranças, os estudantes estavam forçando a entrada com paus e pedras; os estudantes negam que tenham usado violência e dizem que apenas queriam entrar para acompanhar a votação da redução da maioridade penal, que ocorrerá ainda nesta terça; o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que estava conversando com o grupo de estudantes, foi atingido e reclamou da postura do que chamou de "homens do Cunha"; "Isso é uma loucura. Isso é culpa de Eduardo Cunha, porque ele não deveria radicalizar desta maneira", afirmou; Cunha disse que só entrará no plenário quem tem senha
A polícia legislativa usou nesta terça (30) gás de pimenta na tentativa de dispersar manifestantes que queriam entrar na Câmara; segundo os seguranças, os estudantes estavam forçando a entrada com paus e pedras; os estudantes negam que tenham usado violência e dizem que apenas queriam entrar para acompanhar a votação da redução da maioridade penal, que ocorrerá ainda nesta terça; o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que estava conversando com o grupo de estudantes, foi atingido e reclamou da postura do que chamou de "homens do Cunha"; "Isso é uma loucura. Isso é culpa de Eduardo Cunha, porque ele não deveria radicalizar desta maneira", afirmou; Cunha disse que só entrará no plenário quem tem senha (Foto: Valter Lima)

247 - A polícia legislativa usou nesta terça-feira (30) gás de pimenta na tentativa de dispersar manifestantes que queriam entrar na Câmara. Segundo os seguranças, os estudantes estavam forçando a entrada com paus e pedras. Os estudantes negam que tenham usado violência e dizem que apenas queriam entrar para acompanhar a votação da redução da maioridade penal, que ocorrerá ainda nesta terça.

O deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ), que estava conversando com o grupo de estudantes, foi atingido e reclamou da postura do que chamou de "homens do Cunha". "Isso é uma loucura. Isso é culpa de Eduardo Cunha, porque ele não deveria radicalizar desta maneira. Se ele permitisse que a galeria fosse ocupada por 50% das pessoas a favor (da maioridade) e 50% contra, isso não estaria acontecendo", disse.

Para o deputado, Cunha priorizou as bancadas favoráveis à redução. "Com isso, ele gerou esse tipo de conflito".

Cunha tem respondido aos deputados que defendem a entrada dos estudantes que "quem tem senha vai entrar". Alguns estudantes estão com habeas corpus do Supremo Tribunal Federal (STF) que permitiam o acesso à votação.

O presidente da Câmara negou que esteja desrespeitando uma ordem da Justiça e disse que, na decisão da ministra Carmem Lúcia, havia a ressalva de garantia da ordem na Casa. "A ordem está muito clara. Li bem a que recebi, pode ter outras que não tenha recebido, mas a que recebi tem que ser de acordo com a garantia da ordem. E eu estou garantindo a ordem", afirmou.

Segundo o diretor de comunicação da UNE, o estudante Matheus Weber, de 20 anos, Cunha está tentando com essa "manobra" deixar o plenário com a maioria de manifestantes a favor da redução. 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247