Polícia prende 11 em protesto no entorno do DF

Depois de uma manhã de protestos contra a má qualidade do transporte público do Entorno do Distrito Federal, cerca de 300 manifestantes entraram em confronto com a PM na DF-290, próximo a Céu Azul em Valparaíso 2 – município goiano a cerca de 40 km da região central de Brasília; até o início da tarde, 11 pessoas foram presas, em Santa Maria, no DF

Depois de uma manhã de protestos contra a má qualidade do transporte público do Entorno do Distrito Federal, cerca de 300 manifestantes entraram em confronto com a PM na DF-290, próximo a Céu Azul em Valparaíso 2 – município goiano a cerca de 40 km da região central de Brasília; até o início da tarde, 11 pessoas foram presas, em Santa Maria, no DF
Depois de uma manhã de protestos contra a má qualidade do transporte público do Entorno do Distrito Federal, cerca de 300 manifestantes entraram em confronto com a PM na DF-290, próximo a Céu Azul em Valparaíso 2 – município goiano a cerca de 40 km da região central de Brasília; até o início da tarde, 11 pessoas foram presas, em Santa Maria, no DF (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Pedro Peduzzi - Repórter da Agência Brasil

Depois de uma manhã de protestos contra a má qualidade do transporte público do Entorno do Distrito Federal (DF), cerca de 300 manifestantes entraram em confronto com a Polícia Militar na DF-290, próximo a Céu Azul em Valparaíso 2 – município goiano a cerca de 40 quilômetros da região cental de Brasília. Parte da BR-040, uma das principais vias de acesso ao DF, ficou interditada durante a manhã. Até o início da tarde, 11 pessoas foram presas e encaminhadas à 33ª Delegacia de Polícia, em Santa Maria, cidade do Distrito Federal.

Além de queimar ônibus, os manifestantes fizeram barricadas. A situação ficou mais tensa depois que a Tropa de Choque PM entrou em ação para desmontar as barricadas. Pedras e fogos de artifício foram jogados nos policiais, que revidaram com gás. Policiais de Goiás também participaram da operação.

Segundo o motorista da ViaçãoAnapolina (Vian), empresa que atua no local, Manoel Bertozo Oliveira, 40 anos, o problema começou por volta das 4h, quando os funcionários da empresa, insatisfeitos por não receber salário, recusaram-se a sair da garagem, que está fechada desde sexta-feira. "A população se revoltou por isso e porque os nossos ônibus não têm a menor condição de circular. Já dirigi veículos quase sem freio, como pneu liso, que depois até estourou, e com o banco escorado com madeira. A insatisfação é muito grande e se recusar a sair com ônibus desse jeito eles descontam três dias do pagamento."

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email