Procuradoria defenderá a Novacap em ações sobre corrupção no Mané

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha; por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos; de acordo com as investigações da Polícia Federal, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões; dois ex-gestores da Novacap chegaram a ser detidos

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha; por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos; de acordo com as investigações da Polícia Federal, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões; dois ex-gestores da Novacap chegaram a ser detidos
A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha; por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos; de acordo com as investigações da Polícia Federal, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões; dois ex-gestores da Novacap chegaram a ser detidos (Foto: Leonardo Lucena)

Brasília 247 - A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha. Por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos. De acordo com as investigações da Polícia Federal, por meio da Operação Panatenaico, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões, pois foi orçada em cerca de R$ 600 milhões e custou mais de R$ 1,5 bilhão. Dentre os alvos estão os ex-governadores Agnelo Queiroz (PT) e José Roberto Arruda (PR).

A Novacap informou que foi o próprio órgão fez o pedido para a Procuradoria assumir a defesa, "por se tratar de uma questão de governo". O relato foi publicado no G1.

O estatuto da companhia aponta que o o governo do Distrito Federal tem maioria das ações da Novacap (52%), mas a União também é sócia (48%). 

Dois ex-gestores da Novacap foram detidos por estarem entre os alvos da operação. A PF também fez busca e apreensão na empresa. Segundo as investigações, o ex-presidente da companhia Nilson Martorelli assinou e monitorou todos os contratos com empreiteiras para a construção do estádio.

As apurações apontaram que a engenheira Maruska Lima Holanda, ex-diretora de Obras Especiais da Novacap e ex-presidente da Terracap, coordenou a construção do estádio como representante do GDF. Os dois foram foram liberados, após conseguirem habeas corpus.

 

 

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247