Procuradoria defenderá a Novacap em ações sobre corrupção no Mané

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha; por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos; de acordo com as investigações da Polícia Federal, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões; dois ex-gestores da Novacap chegaram a ser detidos

A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha; por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos; de acordo com as investigações da Polícia Federal, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões; dois ex-gestores da Novacap chegaram a ser detidos
A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha; por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos; de acordo com as investigações da Polícia Federal, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões; dois ex-gestores da Novacap chegaram a ser detidos (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Brasília 247 - A Procuradoria-Geral do Distrito Federal defenderá Novacap – empresa responsável pela execução das obras públicas no DF – nos processos envolvendo indícios de corrupção na construção do Estádio Nacional Mané Garrincha. Por ser uma companhia pública, a Novacap tem departamento jurídico próprio, que também acompanhará todo o trâmite dos processos. De acordo com as investigações da Polícia Federal, por meio da Operação Panatenaico, a obra pode ter tido um superfaturamento de quase R$ 900 milhões, pois foi orçada em cerca de R$ 600 milhões e custou mais de R$ 1,5 bilhão. Dentre os alvos estão os ex-governadores Agnelo Queiroz (PT) e José Roberto Arruda (PR).

A Novacap informou que foi o próprio órgão fez o pedido para a Procuradoria assumir a defesa, "por se tratar de uma questão de governo". O relato foi publicado no G1.

O estatuto da companhia aponta que o o governo do Distrito Federal tem maioria das ações da Novacap (52%), mas a União também é sócia (48%). 

Dois ex-gestores da Novacap foram detidos por estarem entre os alvos da operação. A PF também fez busca e apreensão na empresa. Segundo as investigações, o ex-presidente da companhia Nilson Martorelli assinou e monitorou todos os contratos com empreiteiras para a construção do estádio.

As apurações apontaram que a engenheira Maruska Lima Holanda, ex-diretora de Obras Especiais da Novacap e ex-presidente da Terracap, coordenou a construção do estádio como representante do GDF. Os dois foram foram liberados, após conseguirem habeas corpus.

 

 

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247