Reforma da Previdência: PT aciona PGR contra o governo por compra de votos

A Bancada do PT na Câmara protocolou na PGR uma representação em que cobra abertura de investigação do governo Jair Bolsonaro pela compra de votos em favor da proposta de Reforma da Previdência; trata-se de um “grave abuso do poder político e financeiro, às custas do Erário, diz a peça enviada à procuradora-geral Raquel Dodge

247 - Parlamentares da Bancada do PT na Câmara dos Deputados protocolaram na Procuradoria-Geral da República uma representação em que cobram abertura de investigação do presidente Jair Bolsonaro e dos ministros Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Paulo Guedes (Economia) pela compra de votos em favor da proposta de Reforma da Previdência (PEC 6/2019). As informações dão conta de que o governo já liberou quase R$ 1 bilhão em emendas parlamentares vinculadas à área de saúde. O desembolso de R$ 920,3 milhões foi publicado em 34 portarias de uma edição extra do Diário Oficial da União desta segunda (8).

Trata-se de um “grave abuso do poder político e financeiro, às custas do Erário, devendo ser obstado imediatamente para que o próprio sistema democrático e a lisura do pleito não sejam antecipadamente” comprometidos”, diz a peça enviada à procuradora-geral Raquel Dodge. “Trata-se de um comportamento imoral, ilegal e inconstitucional”, afirmam os deputados.

A bancada alerta que "uma reforma impopular e prejudicial ao povo brasileiro não pode servir de instrumento para se mercanciar os votos" dos parlamentares

A petição é assinada pelo líder Paulo Pimenta (PT-RS), e pelas deputadas Gleisi Hoffmann (PT-PR), Maria do Rosário (PT-RS) e Professora Rosa Neide (PT-MT) e o deputado Alencar Santana (PT-SP), cobra-se da PGR acompanhar a execução orçamentária e a liberação de emendas a fim de identificar eventual ilícito civil, administrativo, penal ou crime de responsabilidade de Bolsonaro, Onyx e Guedes. A denúncia foi publicada no último dia 5 pelo site Globo.com.


Ao vivo na TV 247 Youtube 247